Mídias Sociais

Cidades

Greve dos caminhoneiros preocupa moradores da Região dos Lagos

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

A greve dos caminhoneiros, que começou na última segunda-feira, 21, começa a preocupar os moradores da Região dos Lagos. A primeira preocupação aparente é com relação a falta de combustíveis nos postos, situação que pode ficar ainda pior nos próximos dias.

A maioria dos postos já anunciou a falta de determinados tipos de combustíveis, alguns que ainda tem a mercadoria no estoque estão limitando a venda e a população compra o que pode, apesar do aumento considerável no valor.

Em Unamar, bairro do 2º Distrito de Cabo Frio, cada motorista só pode abastecer até 25 litros. A medida visa atender o maior número de clientes possível. Mas segundo funcionários, a quantidade disponibilizada só deve durar por mais dois dias. Ainda em Tamoios, no bairro Aquarius, outro posto já não tem mais etanol. O abastecimento não está limitado, mas a gerência não sabe até quando terá combustível disponível.

O motoboy, Marcos Jesus, que estava abastecendo disse, que sua empresa vai completar o tanque de todos os veículos, afim de conseguir suprir as necessidades da firma, até que a situação volte ao normal. “Já enchi o tanque de umas motos, agora vou abastecer a outra porque não sabemos como a situação vai ficar”, disse.

Em São Pedro da Aldeia, os motoristas também já sentem o aumento no valor dos combustíveis, mas além disso, já foram informados da possibilidade do produto acabar.

Em Búzios, alguns postos também já apresentam falta de determinados combustíveis. Segundo informações, caminhões que abastecem alguns postos estão presos no protesto. Motoristas de vans e demais transportes estão estocando a gasolina em galões, com o receio da falta.

A Salineira, empresa responsável pelos ônibus que atendem a Região dos Lagos, também já anunciou redução na frota de veículos, justamente por não ter combustível para abastecer os ônibus.

 Greve também afeta o consumo de outros produtos – Não é só o combustível que aumentou o valor e está em falta no mercado. Alguns estabelecimentos estão tendo dificuldades para conseguir repor o estoque de frutas, verduras e legumes.

Segundo informações, em Búzios, um mercado de maior porte está fornecendo mercadoria para mercados menores, com o intuito de atender à população, mas em compensação, os valores já estão mais altos.

Em Cabo Frio, os moradores estão temerosos e estão indo as compras para evitar a falta de produtos de necessidade básica.

“Não sabemos onde essa situação vai parar. Já estamos percebendo a alta em alguns produtos, por isso, é melhor comprarmos enquanto tem e enquanto o preço ainda está viável. Tenho muito medo de chegarmos a uma situação mais complicada”, desabafou a dona de casa Cristina, enquanto comprava o necessário em um supermercado.

A previsão é que se a greve permanecer por toda a semana, a escassez de produtos pode afetar à população em grandes proporções.

 

Mais lidas da semana