Mídias Sociais

Cidades

Equipes de resgate retomam buscas a turista Catarinense desaparecida há três dias em trilha de Arraial do Cabo

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Equipes do Corpo de Bombeiros e agentes da Guarda Ambiental retomaram nesta manhã as buscas por Fabiane Fernandes, de 32 anos, turista de Florianópolis (SC) que desapareceu na trilha da Prainha, em Arraial do Cabo, nas Região dos Lagos, na tarde do último domingo (18).

A cadela Toya, da raça golden retriever, participa da ação. Um cobertor, que estava próximo a um chinelo e uma bolsa que podem ser de Fabiane já foram encontrados pelo cão farejador.

Cadela Toya ajuda nas buscas. Foto: Gustavo Garcia | Inter TV RJ

Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros, Marcelo Figaldo, outros cães do canil do batalhão de Magé vão ajudar nas buscas. O hotel em que Fabiane estava hospedada irá disponibilizar peças de roupas da turista para que os cães possam cheirar.

A Guarda Ambiental e voluntários também participam das buscas que foram ampliadas nesta quarta-feira (21), até a praia do Pontal do Gabriel. Antes, os trabalhos estavam concentrados na Trilha da Cabocla. As equipes de salvamento não descartam a hipótese de que Fabiane tenha escorregado e caído do mar da Prainha.

A turista teria ido a região aproveitar o feriadão de Proclamação da República, junto com um companheiro. Segundo informações do grupamento de Cabo Frio, a última localização de Fabiane foi à trilha da Prainha, uma das primeiras da cidade.

Ela teria deixado o parceiro no hotel e ido para a trilha sozinha. O homem, ao ver a foto, informou os bombeiros. As buscas por mar estão sendo feitas pela Guarda Marítima, com auxílio de embarcações. A turista postou uma foto nas redes sociais na manhã de domingo (19), por volta das 11h, e depois ficou incomunicável.

A foto publicada pela turista no instagram diz "exercícios diários, trilha do Atalaia" mas, na verdade, a imagem mostra as trilhas da Prainhas.

De acordo com o biólogo Vinícius Santos, que também trabalha como guia de trilhas na região, a foto publicada pela turista diz "exercícios diários, trilha do Atalaia" mas, na

 

 

verdade, a imagem mostra as trilhas da Prainhas.

Porém, a imagem mostra as trilhas da Prainha, no bairro de mesmo nome. Segundo o biólogo, isso reforça que Fabiane não conhecia o local. Ele ainda destacou o risco de fazer trilhas em locais desconhecidos desacompanhados.

 

 

 

 

 

Família diz que não conhece o companheiro

 

Filipe Fernandes, irmão de Fabiane, disse à reportagem do jornal Hora de Santa Catarina, noite desta terça-feira (20) que a família não conhece o homem que acompanhava a mulher na viagem. Segundo o jovem, "eles ainda não se conheciam bem".

Ele também desconfia da versão de que ela foi para a atividade sem ninguém.

— Ela nunca foi de entrar em trilha assim, ainda mais sozinha.

A família mora nos Ingleses, na Capital, há mais de 25 anos, onde têm uma pousada. Fabiane é administradora do local. Ela tem um filho de 8 anos.

Conforme o irmão, Filipe, a moça não avisou os parentes que iria para o Rio de Janeiro. E foi por meio da imprensa que ficaram sabendo do desaparecimento.

Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Polícia dos Ingleses, em Florianópolis. Como a mãe é deficiente física, o pai já é falecido e o irmão não poderá viajar, um amigo da Fabiane irá para a região dos Lagos ajudar nas buscas.


 

Mais lidas do mês