Mídias Sociais

Cidades

Em Carapebus, parceira entre saúde e assistência social proporciona benefícios aos idosos

Avatar

Publicado

em

 

Da redação

Cuidar da população idosa tem sido uma grande tarefa para os municípios. Os idosos são participantes ativos em suas cidades e precisam cada vez mais de programas e projetos, que os tirem da rotina solitária. Em Carapebus, uma parceira entre as secretarias de Assistência Social e a da Saúde, vem desenvolvendo ações, com objetivo de promover a integração social, elevar a autoestima, visando a qualidade de vida.
O projeto de Coral da Terceira Idade é realizado no CRAS, do Centro, no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, onde cerca de 30 idosos acima de 60 anos, cantam, dançam e fazem atividades físicas. “Eu sinto falta quando não venho, aqui sou feliz”, confessou a moradora do bairro Oscar Brito, Edite Azevedo, viúva .
A chegada ao Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, renovou a vida da idosa Maria Dias Amiti, que teve paralisia e depressão. “Aqui encontrei amigos e voltei a viver. Há cinco anos que frequento e não sei mais o que é tristeza”, reconheceu
Segundo a Coordenadora de Educação em Saúde, a fisioterapeuta Cláudia Fragoso, uma das responsáveis pela realização do projeto, a música por si já é atraente e mexe com os sentidos, as emoções e a autoestima do idoso, promovendo qualidade de vida.
Quem também falou com propriedade sobre os benefícios das atividades desenvolvidas pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, é a idosa Celi Sá da Silva, 78 anos. Ela foi a primeira a entrar no grupo. Morando sozinha no bairro do Caxanga, em Carapebus, ela afirmou que a alegria é participar das aulas do projeto. "Aqui eu brinco, encontro amigos e saio muito feliz”.
O envelhecimento provoca perdas que precisam ser estimuladas. De acordo com o psicólogo Nelson Joaquim, da Secretaria de Assistência Social, a participação do idoso no projeto Coral da Terceira Idade, como também nas atividades físicas, provocam reações benéficas, estimulando a memória, a voz, promovendo a inclusão social, diminuindo o isolamento, a ansiedade e a depressão.

Crédito: Divulgação

Mais lidas da semana