Mídias Sociais

Cidades

Dia D de vacinação contra febre amarela tem resultados positivos em cidades da região

Publicado

em

 

Em Macaé, Campos e Quissamã, centenas de pessoas foram imunizadas no último sábado, dia 3

Preocupadas com o aumento de casos de febre amarela no Estado do Rio, diversas cidades da Região dos Lagos e do Norte Fluminense realizaram no último sábado, 3 de março, mais um Dia D de vacinação contra a doença.

A ação, definida pela Secretaria Estadual de Saúde, foi a segunda este ano em Macaé, onde mais de 200 pessoas foram vacinadas, e desde 2017, já imunizou mais de 200 mil pessoas, conforme informações da Secretaria de Saúde do município.

No último sábado, a pasta em Macaé disponibilizou 7 postos de saúde, sendo 2 na região serrana, e segundo a prefeitura, o movimento foi tranquilo pela manhã em todas as unidades abertas.

A grande preocupação das autoridades estaduais e municipais de Saúde é com o aumento dos casos, que, só em 2018, chegaram a 108 casos registrados de febre amarela silvestre em humanos, sendo 48 óbitos em todo o Estado, embora nenhum na região.
De acordo com a gerente do Programa de Imunização, Luciana Santos, a abertura dos postos no sábado foi uma oportunidade para as pessoas que não puderam ir às unidades durante a semana, pelos mais diversos motivos.

“A vacinação continua (nessa semana) e quem não veio hoje (sábado, 3) pode procurar uma unidade de Estratégia Saúde da Família (ESF), de segunda a sexta-feira”, contou Luciana.
Campos – No município vizinho, de Campos dos Goytacazes, dezenas de pessoas chegaram cedo ao Centro de Saúde, para tomar a vacina contra a febre amarela, que foi disponibilizada em outros 8 pontos da cidade.

Segundo a Secretaria de Saúde do município, em menos de uma hora, dezenas de pessoas que estavam na fila foram imunizadas, conforme já esperava a coordenadora de Vigilância em Epidemiologia da pasta, Roberta Lastorina Rios.

“No dia 27 de janeiro último, nós já tivemos outro Dia D. E a população de nosso município já vem sendo vacinada desde o segundo semestre do ano passado. Mas é importante que as pessoas em condições de serem imunizadas, por um motivo ou outro, ainda não compareceu, que aproveite a oportunidade”, orientou Roberta.

Ainda segundo ela, as vacinas continuarão sendo aplicadas, de segunda-feira a sexta-feira, ainda sem data do Ministério da Saúde para encerramento, nos postos do Hospital São José, em Goitacazes; do Centro Social de Guarus; das Unidades Pré-hospitalares (UPHs) de Travessão e Tócos; do Centro de Referência e Tratamento da Criança e do Adolescente (CRTCA 2); da Unidade Básica de Saúde (UBS) da Penha; e na Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) de Farol de São Thomé.

A Prefeitura de Campos informou ainda que, desde que foi iniciada a vacinação contra a febre amarela no município, também em 2017, quando os primeiros casos em humanos começaram a ser registrados, já foram imunizadas 278.438 pessoas na cidade.

 

Quissamã – Também na Região Norte Fluminense, o município teve boa participação popular, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, no Dia D contra a febre amarela, que “transcorreu de forma bastante tranquila e satisfatória em diferentes pontos da cidade”.

Por meio da pasta da Saúde, a prefeitura conseguiu mobilizou equipes formadas por enfermeiros e técnicos em enfermagem, “atendendo 100% do território, distribuídos nas Unidades de Saúde da Família de Alto Grande, Morro Alto, Santa Catarina e Barra do Furado, além do Centro de Saúde Benedito Pinto das Chagas”.

De acordo com o governo municipal, um dos postos de vacinação, o Centro de Saúde, chegou a receber pessoas de todas as idades para serem imunizadas, pela facilidade com que os moradores encontravam acesso ao local.

Mesmo com a boa participação da população, a Coordenadora de Ações Programáticas da Secretaria de Saúde, Natália Villaça, alertou aos que ainda não se vacinaram, que a imunização contra a febre amarela terá sequência no município durante a semana.

“Quem ainda não recebeu a dose deve procurar o Centro de Saúde, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h”, encaminhou Natália.

 

Vacina – De acordo com informações prestadas pela Secretaria de Saúde de Macaé, podem se vacinar pessoas de 9 meses a 59 anos de idade, que não tenham contraindicação para o uso da vacina, lembrando que a dose é única e vale para toda a vida, e que, para doar sangue, as pessoas vacinadas devem aguardar 4 semanas após a vacinação.
A imunização não é recomendada para gestantes, lactantes de crianças com até 6 meses de idade e nem para quem tem mais de 60 anos. Nesse último caso, o médico deverá avaliar o benefício e o risco da vacinação, levando em conta o risco da doença e o risco de eventos adversos nessa faixa etária ou decorrentes de comorbidades.
Quem se imunizou recentemente ou ainda vai se vacinar, deve ficar atento, pois as doses geralmente produzem poucos efeitos colaterais. Cerca de 5% das pessoas podem desenvolver, de 5 a 10 dias depois da vacinação, sintomas como febre, dor de cabeça e dor muscular, sendo infrequente a ocorrência de reações no local de aplicação, e reações de hipersensibilidade raramente encontradas, apesar de geralmente serem atribuídas às proteínas do ovo contidas na vacina.


 

Mais lidas do mês