Mídias Sociais

Cidades

Delegado Orlando Zaccone faz palestra sobre segurança pública e avanço das milícias em Búzios

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Antes da palestra será exibido o filme Tropa de Elite 2 – o inimigo agora é outro.

O delegado Orlando Zaccone, que faz parte do movimento policiais antifascismo, estará no Cine Teatro da Rasa, Armação dos Búzios, ministrando uma palestra sobre segurança pública e o avanço das milícias no estado do Rio de Janeiro, a partir do filme “Tropa de Elite 2: O inimigo agora é outro”. O evento está marcado para 18h30 e será realizado pelo Coletivo de Cultura, Comunicação e Direitos Humanos Marielle Franco, com apoio do Partido Socialismo e Liberdade. A faixa etária do filme é a partir de 16 anos e entrada é franca.

Orlando Zaccone defende a construção de uma politica de segurança democrática, com garantia de direitos humanos para todos. Sempre se colocou ao lado das vitimas da violência do Estado, em investigações como a “Chacina do Borel” e o “Caso Amarildo”. Foi responsável pelo voto dos presos provisórios no projeto Carceragem Cidadã. Hoje participa do Movimento Policiais Antifascismo e da luta pela descriminalizaão das drogas como forma de combate ao tráfico e a violência.

Além de delegado de polícia civil do Estado do Rio de Janeiro, Zaconne também é Mestre em Ciências Penais pela Universidade Cândido Mendes (2004), Doutor em Ciência Política pela Universidade Federal Fluminense (2013), Professor do Curso de Pós-Graduação em Direito e Processo Penal da Cândido Mendes e Professor de Criminologia da Academia de Polícia Civil Sílvio Terra. Autor dos livros Acionistas do nada: quem são os traficantes de drogas (editora Revan, 2007) e Indignos de vida: a forma jurídica da política de extermínio de inimigos na cidade do Rio de Janeiro (editora Revan, 2015).

O Coletivo Marielle Franco foi criado e Búzios em 2018 e hoje tem atuação em outros municípios da Região Norte e Lagos do Rio de Janeiro e tem como objetivo fomentar a cultura, tendo a rua e os demais espaços e equipamentos públicos como palco, utilizando-se de todas as ferramentas de comunicação e sempre com foco na defesa dos direitos humanos.


 

Mais lidas do mês