Mídias Sociais

Cidades

Como forma de driblar crise financeira, jovens empreendedoras apostam na venda de açaí em Macaé

Daniela Bairros

Publicado

em

 

Estudante de psicologia e jornalista adesivaram uma Kombi e conseguem obter renda com o Açai Beach, na Praia do Pecado, em Macaé.

 

Daniela Bairros

Uma Kombi adesivada  Açai Beach e que fica localizada num dos cartões postais de Macaé, a Praia do Pecado. Um produto  que é muito consumido principalmente no verão e o melhor, à beira mar. Foi assim que a estudante de psicologia e empresária Genid Isabelle Miranda, de 24 anos, e a jornalista Naiara Correa Matias, de 23, se tornaram empreendedoras, como meio também de driblar a crise financeira.

Genid contou que tinha o desejo de trabalhar em algo que a deixasse confortável. “Não encontrava isso em outros setores. A praia é meu lugar favorito, onde tinha espaço para um negócio com as características que eu buscava preencher”.

Para criar o próprio negócio, o Açai Beach, a empresária explicou que foi necessário ter uma boa percepção das necessidades do mercado. “Eu vi que precisaria de um atendimento interpessoal e personalizado. Então investi em uma equipe que entendesse estes valores como fundamentais. E nossos clientes podem confirmar que não vendemos apenas açaí”. Foi preciso estudar muito para fazer o negócio crescer. “E isso não é tudo. É preciso executar o plano de ação, fazer acontecer. A dedicação é o que faz o negócio funcionar. Muitas pessoas esperam estar prontas para começar, mas a verdade é que nunca estaremos”, ressaltou a empresária.

A estudante de psicologia trabalhava e tinha acabado de pedir demissão. Naiara, formada em jornalismo, aderiu à ideia. Já havia adquirido a Kombi, só que o veículo não era utilizado. Gerava custos. “Pensar em uma alternativa para um novo emprego, usando a Kombi, foi a jogada. Pensei em um tipo de produto que tivesse características como praia, verão e reunir pessoas. São coisas que me agradam. Açaí se encaixa em todos esses quesitos. Açaí em uma Kombi então pareceu melhor ainda e foi mesmo”, declarou.

Ainda segundo Genid, quando resolveu abrir a Kombi do açaí tinha poucos recursos, apenas R$ 3 na conta. Contou com a ajuda de um amigo, que criou a logo marca e imprimiu adesivos provisórios na garagem de sua casa. “Meu avô me ajudou com a parte interna da Kombi. Tirou os bancos e por ai foi. Todo mundo contribuiu com um pouco”.

Assim como todo mundo que tem o próprio negócio, obter bom retorno financeiro é o que mais se espera, mas, além disso, de acordo com a empresária, cativar clientes e conquistar novos amigos é o que gratifica as empreendedoras.

Para atrair clientes, as jovens apostam também na realização de eventos, como o Open Açai. O evento é produzido com a liberação de açaí durante toda festa, que é animada com dj e outras atrações. Recentemente, realizaram a terceira edição do evento e já pensam em outro para a chegada do verão. Além disso, o Intercolegial, um evento que  Genid e Naiara criaram para reunir todos os clientes e amigos, por meio do esporte. “Já que nosso maior público são adolescentes e jovens, a ideia era reuni-los conosco para iniciarmos as comemorações do nosso aniversário de 1 ano e no final temos a festa das cores. O público aderiu e foi muito além das nossas expectativas. Contávamos com 60 adolescentes e tivemos mais de 250 em quadras durante os dois dias de jogos. E no sábado, durante o feriado da Proclamação da República, estávamos todos reunidos na Praia do Pecado, onde encerramos o aniversário do Açai Beach com muita música e uma festa de cores. É muito gratificante trabalhar sim, mas se divertir e o melhor, ver as pessoas satisfeitas”, concluiu Genid.

Crédito das fotos: Marina Costa


 

Mais lidas do mês