Mídias Sociais

Cidades

Araruama clama pelo transporte alternativo

Avatar

Publicado

em

 

Devido aos constantes embates envolvendo prefeitura, governo do Estado e o transporte alternativo, a população de Araruama sofre com a dificuldade de locomoção e com isso a economia sai afetada.

Em Araruama, a atividade já ocorre há mais de quinze anos, porém até hoje nunca foi regulamentada. Nossa equipe teve dificuldade em realizar as entrevistas devido ao medo dos  envolvidos em verem aumentar ainda mais a represaria do Poder Público ao transporte alternativo.

Segundo motoristas, que não quiseram de identificar, a necessidade de regulamentação é um pleito de muitos anos. Mas afirmam que o problema da repressão começou durante o governo do ex-prefeito André Mônica e se arrasta até a atual gestão. Porém o maior obstáculo é a ação do Departamento de Transportes e Rodagens do Estado do Rio de Janeiro (Detro-RJ), órgão responsável pela fiscalização.   Os motoristas alegam que o órgão atua fora da legalidade no município, intimidando os motoristas com repressão inadequada. Durante a cobertura da notícia, nossa equipe flagrou um carro que de acordo com os motoristas seria do DETRO-RJ circulando sem identificação, apenas com um giroscópio removível. “O veículo fica na espreita esperando para aplicar um flagrante para reprimir a atividade”, disse um dos motoristas que preferiu ter sua identidade preservada.

População de Araruama apoia o transporte alternativo

A passageira Rita, professora e moradora do bairro Iguabinha há 8 anos, apoia a atividade por causa da péssima qualidade do serviço de ônibus.

"Eu morava no Rio e vim pra cá. Desde então, sempre peguei a towner. É um bom serviço que eles prestam, porque não tem ônibus e o atendimento é horrível. Por isso sou completamente a favor da legalização da atividade, com uniforme direitinho identificando.", afirma a professora enquanto aguarda para embarcar na towner em direção ao seu bairro.

 

 

 

A professora Tamires Araújo alega que sempre utilizou o transporte alternativo. "É um trabalho muito bom, sempre disponível. Infelizmente é uma pena a perturbação causada pelo Detro. É uma pena não legalizarem, porque é muito bom. Toda hora tem uma van, mas o ônibus para o meu bairro só tem de uma em uma hora." Afirma a professora de 22 anos e moradora da Vila Capri.

Segundo os motoristas, o projeto pela regulamentação do transporte alternativo já existe, mas carece de vontade política para colocar em prática e retirar da ilegalidade centenas de profissionais que ainda tentam sobreviver da atividade. O problema da falta de regulamentação das vans não é novo e atinge todo o Brasil por conta de conflitos econômicos envolvendo grandes empresas de transporte. Durante a gestão do governador Sergio Cabral, houve uma redução drástica do numero de autonomias em todo o Estado afetando a atividade e arrastando milhares de profissionais para a ilegalidade.

Mais lidas do mês