Mídias Sociais

Caderno D

Igreja de São Benedito e Bairro Passagem em Cabo Frio

Avatar

Publicado

em

 

O bairro da Passagem em Cabo Frio, surgiu para ser um ponto de apoio na travessia para o Canal do Itajuru. Porém suas riquezas arquitetônica e histórica transformaram o local em um interessante e agradável ponto turístico.

Passeando pelas ruas estreitas e de calçamento antigo, o visitante pode observar as casas em estilo colonial do século passado, de janelas baixas e coloridas, todas patrimônio histórico. Muitas ainda conservam em sua cobertura as famosas telhas moldadas nas coxas das escravas grávidas. A Igreja de São Benedito fica bem no centro do bairro, no largo de mesmo nome.

Construída em 1701, nasceu para abrigar os escravos negros, pois a eles não era permitido frequentar a mesma igreja que os brancos. Dessa forma, nada mais digno do que colocar no altar mor um santo negro, São Benedito. A capela é bem menor e não ostenta a beleza barroca da Matriz N. S. da Assunção, mas sua riqueza está na simplicidade do estilo.

Depois de o centro ter sido escolhido para núcleo urbano da cidade, o bairro da Passagem acabou tornando-se uma vila de pescadores. Para chegar ao local é só ir em frente pela Avenida Assunção e dobrar à direita. Ou, então, seguir pela orla, até o final da praia do Forte e virar à esquerda.

Construção

Conjunto arquitetônico e urbanístico do largo de São Benedito e adjacências: igreja de São Benedito, largo de São Benedito e respectivos imóveis. O conjunto arquitetônico e urbanístico com seu casario tradicional e singelo é constituído principalmente de edificações dos séculos XIX e XX, com um ou dois pavimentos, a mais antiga remontando ao século XVIII.

É sobretudo notável a escala e a harmonia da ambiência urbana luminosa e arejada, destacando-se a igreja oitocentista dedicada a São Benedito. O bairro da Passagem, onde se localiza, é reconhecido como o sítio urbano mais antigo de Cabo Frio. A denominação Passagem deve-se à existência no local de um porto às margens do canal de Itajuru, ponto de embarque e desembarque de mercadorias, incluindo o tráfego de escravos e do pau-brasil, abundante nas matas nativas da região. O bairro caracterizou-se por abrigar, ao longo de sua história, atividades relacionadas à pesca e à navegação, além de servir como local de moradia. Palco de festas religiosas e tradicionais, foi berço dos blocos carnavalescos que marcaram a presença da cultura negra no local.

 

Esio Bellido

Foto: Divulgação

Mais lidas da semana