Mídias Sociais

Caderno D

Em Búzios, exposição Caio Graffiti pode ser visitada até 11 de abril

Publicado

em

 

Mostra está no Espaço Cultural Zanine e faz parte do Projeto Arte Além dos Muros Escolares

 

A exposição Caio Graffiti, que está no Espaço Cultural Zanine, pode ser visitada até o dia 11 de abril, de terça a quinta-feira, das 8h às 17h, sextas e sábados, das 17h às 21h, e aos domingos, das 16h às 20h.

A mostra faz parte do Projeto Arte Além dos Muros Escolares e conta com o apoio da Prefeitura de Búzios, do Colégio Municipal Paulo Freire, Coordenação de Arte e Cultura e Rotary Club.

O Projeto Arte Além dos Muros Escolares visa contribuir para o desenvolvimento de competências e habilidades dos jovens no exercício da cidadania, discutindo sobre as pinturas, as pichações nos muros das escolas e seu entorno.  Neste foi apresentado às técnicas da manifestação do grafite e a arte urbana da atualidade. Foi estudada a oportunidade de construir valores estéticos que podem despoluir visualmente a cidade e oportunizar as intervenções do artista local no patrimônio público cultural.

O projeto iniciou com os alunos do Colégio Municipal Paulo Freire de Armação dos Búzios, estendendo-se ao Ensino Fundamental II. O projeto,  que propõe grafitar além dos muros escolares,  trouxe para a juventude a possibilidade de desenvolver a autonomia através da Arte Urbana Contemporânea.

Nascido na década de 1970, na periferia de Nova York, o Grafite fazia parte do Hip Hop, de movimentos culturais que envolviam música e a dança. Essa forma de expressão se espalhou pelo mundo nas ruas dos centros urbanos, decorando e transformando os espaços urbanos.

O grafite era considerado sinônimo de pichação e não ganhava espaço nas discussões sobre arte, porém há pouco tempo ganhou outro olhar.

A qualidade estética de artistas que começaram sua carreira grafitando, como o americano Jean-Michel Basquiat, chamou a atenção de historiadores e curadores de museus, que passaram a inserir obras deles em algumas exposições. É possível perceber semelhanças entre pichação e grafite, que além de ambos usarem tinta látex ou spray para pintar, têm como suporte os muros ou paredes, e temas mais comuns do cotidiano.

No grafite as técnicas são mais apuradas e exploram efeitos e cores que a pichação não permite. Além dos grafiteiros Os gêmeos, dois irmãos que fazem sucesso no mundo todo, outros nomes também fazem parte do cenário atual brasileiro, sendo referências dessa arte, como Carlos Dias, Daniel Melim, Kobra, TitiFreak e Zezão.

Daniela Bairros

Crédito: Divulgação

 

 

 

 

 

Mais lidas da semana