Mídias Sociais

Sem categoria

Virada econômica

Daniela Bairros

Publicado

em

 

Virada econômica histórica será marcada pela volta das grandes empresas, emprego e oportunidades de negócios. Macaé voltará a ser o centro da energia petrolífera.

Atualmente são 37 empresas multinacionais aguardando o novo governo para ver se serão mantidas as mesmas regras do petróleo. Caso isso aconteça, o mercado crescerá com toda a infra-estrutura para manter todo esse negócio em funcionamento.

Uma realidade que nos coloca em uma posição estratégica frente à grande demanda de energia mundial, as descobertas no pré-sal estão entre as mais importantes em todo o mundo na última década.

A Petrobras assinou uma carta de intenções com a gigante chinesa China National Petroleum Corporation International e fechou acordo com uma outra empresa chinesa, a Shandong Kerui Petroleum intuindo a conclusão e operacionalização do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro - COMPERJ. A exploração do petróleo no Rio de Janeiro e São Paulo será a maior do mundo e, ao final desse ano, terá a mesma receita das do auge de 2011.

Uma plataforma de petróleo gera atualmente 5 bilhões de dólares de caixa por ano ao custo de $7 dólares a produção de 1 barril de petróleo e é vendido a $77 dólares com uma margem de $70 dólares. para os próximos 20 anos, nessa perspectiva pode-se estimar 40 trilhões em venda de petróleo sendo 36 trilhões de resultado positivo.

Macaé no ano de 2017 arrecadou mais de R$ 400 milhões em royalties ficando atrás dos municípios de Maricá que arrecadou R$ 746 milhões, Niterói arrecadando R$ 615 milhões e Campos dos Goytacazes R$ 466 milhões, esse ano, Macaé já superou a marca de R$ 600 milhões.

Nesta vertente podemos observar a crescente exponencial para 2019, através das previsões de arrecadação do Governo macaense, que promete ser histórica.

Atualmente em discussão na Câmara de Vereadores a Lei Orçamentária Anual (LOA), prevê para 2019, um orçamento de R$ 2.316 bilhões, R$ 275 milhões a mais do que o ano corrente (2018). Consolidando de vez o fim da recessão e do cenário de crise, atingindo assim, uma marca histórica  no orçamento para o próximo ano.

É assentado nessa perspectiva que o setor de petróleo e gás — em con­junto com os encadeamentos produtivos a ele associados — está estimado para responder por 20% do PIB brasileiro até 2020 configurando-se como um importante motor do desenvolvimento econômico nacional e propiciando não apenas crescimento, mas também transformação estrutural. Em um governo tampão os empresários se seguram, na hora que tiver um governo que de segurança tudo dispara.

Com uma política integrada e estruturante para a geração não apenas de crescimen­to econômico, mas do desenvolvimento nacional se taxar adequadamente, cobrar um royalties justo, os impostos justos todos virão e ficarão. Tudo irá melhorar exponencial!

Então, verifique a documentação de sua empresa, estude o seu negócio, faça sua engenharia corretamente e execute um serviço exemplar com qualidade e transparência, que, certamente, você obterá sucesso. A oportunidade esta aí e é para todos!

 

 Leandro Aracati -  MBA em Gestão Pública, Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental e Pós-Graduado em Ciências do Trabalho

 

 


 

Mais lidas do mês