Mídias Sociais

Sem categoria

Presidente da Câmara de Macaé pede que prefeitura aproveite funcionários da CEDAE mesmo com encampação

Avatar

Publicado

em

 

Um dia depois que o Prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (sem partido), apresentou a proposta de encampação do serviço de abastecimento de água no município, a Câmara Municipal aprovou requerimento pedindo informações sobre a formação do corpo técnico da prefeitura que será responsável pelo processo.

O requerimento, de autoria do presidente da Casa, Dr. Eduardo Cardoso (PPS), sugeria ao governo municipal a contratação dos funcionários da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE), já que os serviços passarão a ser de responsabilidade da prefeitura.

Durante os debates, os vereadores Marcel Silvano (PT), Robson Oliveira (PSDB) e Marvel (REDE), cobraram do governo informações sobre o funcionamento dos serviços, enquanto os vereadores Dr. Márcio Bittencourt (MDB) e Dr. Márcio Barcelos (MDB) defenderam a quebra do contrato com a CADAE.

Segundo o Dr. Márcio Barcelos, os problemas do abastecimento de água no município serão resolvidos através de investimentos da prefeitura, investimentos que a CEDAE não está fazendo, mesmo arrecadando mais de 50 milhões de reais, mas investindo apenas 6 milhões de reais no abastecimento, considerado precário até mesmo pelo Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ), que deu parecer favorável à encampação.

Também da base do governo, o vereador Cesinha (PROS) concordou com o requerimento do presidente, mas reforçou o pedido para que os parlamentares não obstruam a vinda do novo secretário adjunto de Saneamento, Marcos Túlio, responsável pelo processo de encampação da água em Macaé.

“É só olhar a situação de Córrego do Ouro, que é uma das bases eleitorais da vereadora Renata [Paes, PSC], que defende a população daquela região com muita habilidade, e que pode esclarecer muito bem. Falta água lá. Por quê? A tarifa é zero. Enche piscina e joga a água fora, porque a tarifa é zero. Tomara que o secretário venha explicar como isso vai ser feito”, questionou Cesinha.

A matéria ainda foi discutida pelos vereadores Reginaldo do Hospital (PROS) e Val Barbeiro (PHS), que elogiaram o requerimento de Dr. Eduardo, e, como outros membros da bancada governista, enalteceram a atuação do líder do governo, Julinho do Aeroporto (MDB), que valorizou sua atuação ao lembrar que esvaziou a votação do projeto de encampação da água, impedindo uma possível derrota do governo, já que, na ocasião, havia apenas 12 vereadores mais o presidente, e, na análise do emedebista, a votação poderia terminar 7 a 5 para a oposição, o que resultaria na rejeição da proposta na ocasião.

Ao fim, depois de muitos debates, tanto dos vereadores da oposição quanto de vereadores governistas, Dr. Eduardo explicou que não pensou em nada do que foi discutido pelos parlamentares, revelando que seu intuito era apenas pedir à prefeitura que aproveitasse os funcionários da CEDAE, para não aumentar o desemprego na cidade.

“São 16 anos criticando a CEDAE. Nesses 16 anos, eu nunca consegui elogiar nada. Se investiu 30 bilhões de reais, eu não sei aonde. Porque aqui não foi. Ou então foi para financiar campanha. E eu tenho certeza que a CEDAE financiou campanha de muita gente aí. Eu tenho certeza! Eles dizem que investem trilhões, mas só se foi para o bolso de alguém. A CEDAE é muito ruim e é muito ruim há muito tempo”, concluiu Dr. Eduardo.

Por fim, o requerimento acabou aprovado apenas com uma abstenção, do vereador Luciano Diniz (MDB, no telão na foto), que é funcionário concursado da CEDAE e que, explicou ainda durante a discussão do requerimento, que, com apoio de sua assessoria jurídica, preferiu não votar na matéria.

Mais lidas do mês