Mídias Sociais

Polícia

Júri de acusado da chacina de Macabu começa hoje (22)

Avatar

Publicado

em

 

Acusado de triplo – homicídio, Cristiano Maurício de Castro, de 39 anos, enfrenta o júri popular às 10h no plenário do Fórum de Conceição de Macabu

Bertha Muniz

 

Legenda: Somando todas as penas, Cristiano pode pegar mais de 100 anos de prisão pelo triplo homicídio

 

O empresário Cristiano Maurício de Castro, de 39 anos, conhecido como “Pindoco”, enfrenta o júri popular na manhã de hoje (22), no plenário do Fórum de Conceição de Macabu. Ele é acusado de planejar e executar a morte três parentes – irmã, sobrinho e mãe- de sua ex-mulher, Cátia dos Santos, hoje com 39 anos. O crime aconteceu no dia 2 de março de 2013. O julgamento está previsto para começar às 10h.

Cátia dos Santos é a peça chave do julgamento como testemunha ocular do crime por ser a única sobrevivente. Após a chacina, ela perdeu a 90% da visão do olho esquerdo, sofre de depressão e está de licença médica do trabalho.

 

Dias antes da chacina, a sobrevivente havia prestado queixa na delegacia alegando ter sofrido ameaças de morte do ex-companheiro. Na ocasião, Pindoco teria colocado uma arma na cabeça dela afirmando que mataria ela e a família, caso a esposa não voltasse para casa.

 

A ameaça se concretizou no crime que ficou marcado na história da pequena cidade de Conceição de Macabu e provocou um intenso clamor popular. Por conta disso, o juízo da comarca requisitou auxílio da Polícia Militar para a segurança dos presentes no fórum, bem como para proteção dos arredores. A Guarda Civil Municipal (GCM) irá fazer o isolamento da rua onde se situa o edifício durante toda sessão.

 

A partir das 9h serão distribuídas senhas à população que pretende acompanhar o julgamento na plateia do plenário. As famílias das vítimas e do acusado deverão ficar em lados opostos e terão um limite de três pessoas, cada. Somando todas as penas, Cristiano pode pegar mais de 100 anos de prisão pelo triplo homicídio.

 

 

Relembre o caso

Na ocasião do crime, Cristiano Maurício de Castro, teria entrado na casa da mãe da ex-companheira, arrombando o portão e a janela da casa utilizando um machado.

Ele teria matado a ex-sogra, Mariza Alves dos Santos Moraes, 59 anos, sua ex-cunhada, Simone dos Santos, 39 anos e o sobrinho da ex-mulher e filho de Simone, Marcelo dos Santos da Silva, de 17 anos. Cátia levou um tiro na cabeça, mas sobreviveu com sequelas ao atentado.

Além de acusado de matar as três pessoas em Conceição de Macabu, Cristiano também possui duas passagens pela polícia por suspeita de venda água mineral adulterada no estabelecimento comercial de sua propriedade.

 

Réu integra quadrilha dentro de presídio em Campos

 

Em 2015, Cristiano foi apontado pela Delegacia Antissequestro da capital (DAS) com um dos suspeitos de integrar uma quadrilha que aplicava o golpe do falso sequestro. Ele e parte do bando já estavam presos e comandavam as ações do interior do presídio Carlos Tynoco Garcia, em Campos, no Norte Fluminense. Cinco dos acusados eram da mesma família e obrigaram um idoso de 80 anos a fazer depósito de R$ 12 mil em conta bancária de Cabo Frio, na Região dos Lagos. Apenas parte do dinheiro foi recuperado.

Mais lidas da semana