Mídias Sociais

Sem categoria

Casa do Estudante de Macaé começou a receber primeiros alunos-moradores nesta semana

Publicado

em

 

Antigo hotel da Imbetiba que agora abriga a Casa do Estudante de Macaé, conta com toda estrutura do antigo estabelecimento para oferecer conforto e segurança aos estudantes que vieram para a cidade em busca de conhecimento

Iniciado graças à aproximação da Universidade Federal Fluminense (UFF) com a Prefeitura de Macaé, intensificada a partir do final de 2017, o processo de construção do bloco D da Cidade Universitária segue avançando.

Com verbas custeadas integralmente pela prefeitura, em torno de 12 milhões de reais, o prédio servirá como sede da UFF em Macaé, cidade que recebeu o campus da universidade há 25 anos.

De acordo com o vice-reitor da UFF, professor Antonio Claudio Nóbrega, que conduziu pessoalmente as negociações, o prédio destinado à instituição tem previsão de conclusão para 2019 e constitui mais uma ação estruturante da instituição na cidade.

“Há cerca de dois anos iniciamos um trabalho de atualização do mapeamento da infraestrutura e planos das unidades que se localizam nos campi de expansão. Em Macaé, era imperativa a construção de uma sede própria da UFF há 25 anos. Enquanto elaborávamos um acordo junto ao município para a construção do prédio, em paralelo fomos suprindo a unidade que ainda funciona em um bloco emprestado pela prefeitura com sistema de internet wi-fi e aparelhos de ar condicionado. Dentre os muitos objetivos acadêmicos, construímos um espaço orçamentário para finalmente iniciar a residência jurídica na unidade que revitalizará o Centro de Assistência Jurídica (CAJ)”, explicou Antonio Claudio ao site da UFF.

Outra conquista da parceria entre a prefeitura e as universidades foi Casa do Estudante, antigo hotel na Imbetiba que a prefeitura criou para abrigar alunos de outros municípios que vieram para Macaé em busca de conhecimento.

De acordo com o Secretário Adjunto de Ensino Superior, professor Marcio Magini, gestor da Cidade Universitária de Macaé, a Casa do Estudante já recebeu 48 alunos enviados pelas universidades.

O professor explicou que, apesar de ter cerca de 70 quartos, a prefeitura optou por disponibilizar 60 deles para moradia, deixando o restante para servir como áreas de convivência e locais de estudo para os estudantes.

As demais 12 vagas, ainda conforme Marcio Magini, serão preenchidas em 2019, com novos alunos que ingressarem nas universidades no ano que vem, através do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cujas provas acontecem nos dias 4 e 11 de novembro.

Aluno 4º período de Administração e futuro residente da Casa do Estudante, Alex Lisboa contou ao site da UFF que além de melhorar em muitos aspectos a qualidade de vida dos alunos, a moradia estudantil aumenta as chances de alunos de baixa renda e oriundos de outros estados se manterem na faculdade.

Mesma opinião da aluna Débora Dorea, do 5º período de Direito, que acredita que a Casa do Estudante será um marco de mudança para os alunos da UFF em Macaé, possibilitando a permanência e o melhor rendimento acadêmico de todos os contemplados.

Segundo a própria UFF, as atuais conquistas marcam não só a gestão da instituição, como também a história de uma cidade notadamente conhecida pela produção petrolífera e pelo offshore brasileiros, fatores que ampliaram a demanda por hospedagem no município. Daí a necessidade de se fazer um edital de seleção de alunos para ocupar a Moradia Estudantil da Prefeitura de Macaé, que beneficiou não só a UFF, mas todas as instituições públicas de ensino superior sediadas no município.

A universidade explicou ainda que os 48 quartos da Casa do Estudante foram sorteados no final de setembro, quando os futuros ocupantes também conheceram os aposentos, que contam com toda estrutura herdada do antigo hotel, com quartos já mobiliados.

Magini revelou ainda que os alunos-moradores terão gratuitamente direito a quartos duplos com banheiros, uma cozinha comum, lavanderia e a espaços de convivência, e que a prefeitura arcará com os custos com energia elétrica e fornecimento de água.

Sobre a segurança dos estudantes, o secretário adjunto contou que a Casa do Estudante conta com uma portaria que funciona 24 horas por dia, e uma coordenação que funciona em horário comercial, além de contato 24 horas com a Guarda Municipal e com rondas diárias da Guarda e da Polícia Militar.

Casa do Estudante – Segundo a UFF, a entrega da nova moradia estudantil tem uma importância histórica, pois vai ao encontro de uma antiga reivindicação dos estudantes que vinham de várias parte do país para a Capital Nacional do Petgróleo.

“Outro dado importante são as condições econômicas da cidade, considerada uma das mais caras do Brasil para se morar, com um custo de vida significativamente alto, umas das razões para a evasão escolar verificada nos cursos de graduação. Buscando reverter essa realidade e com o objetivo de incentivar a permanência do aluno na região e ampliar as expectativas do corpo discente em relação à moradia, a Casa do Estudante de Macaé irá funcionar em um hotel em estilo colonial, com varandas que possuem vista para o mar de Imbetiba, uma das mais tradicionais praias da cidade. Além disso, os alunos terão a oportunidade de conviver com colegas de outras instituições e cursos, bem como participar da gestão do espaço, por meio da criação de uma comissão”, explicou a UFF.

Bloco D Sobre a construção do Bloco D, da Cidade Universitária, nova sede da UFF em Macaé, que começou em fevereiro deste ano, as obras seguem em na fase estrutural, quando as estruturas do prédio estão sendo erguidas.

Ainda segunda a universidade, o prédio terá 4.400 metros quadrados (m²), com 3 pavimentos. No térreo, funcionarão a secretaria, sala de direção, sala de professores, biblioteca, diretório acadêmico, auditório para 200 pessoas, copa e sanitário.

Os pavimentos 1 e 2 serão destinados para 30 salas de aula, 15 em cada andar, e o novo prédio seguirá o padrão de edificação no campus.

“A ideia é contribuir com o modelo de interiorização de grandes universidades do país, consolidando Macaé como a cidade do conhecimento”, defende a UFF.

Cidade Universitária – O polo universitário do município, referência em educação superior na região e no país, abriga, no mesmo espaço e, gratuitamente, diferentes instituições de ensino superior.

Com 5 mil alunos, a Cidade Universitária abrange a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Faculdade Miguel  Ângelo da Silva Santos (FeMASS) e Universidade Federal Fluminense (UFF). São 18 cursos de graduação e 6 de pós-graduação, e está localizada na Rua Aloísio da Silva Gomes, 50, na Granja dos Cavaleiros


 

Mais lidas do mês