Mídias Sociais

Política

Welberth se despede da Câmara de Macaé e pode ganhar companhia de Chico Machado na Alerj

Avatar

Publicado

em

 

De pé, vereador Welberth Rezende (PPS), durante defensa de requerimento na Câmara em prol dos Agentes de Combate à Endemia, uma das categorias defendidas pelo parlamentar durante seus 6 anos de mandato

Eleito deputado estadual nas últimas eleições, o vereador Welberth Rezende (PPS) se despediu da Câmara de Macaé em longa sessão desta quarta-feira, 12, última ordinária desta legislatura, já que em 2019, passará a representar o município e a região na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj).

“Hoje eu vou encerrar esse ciclo. Irei no começo do ano renunciar ao mandato, no mês de janeiro, final do mês de janeiro, para assumir um novo desafio. É um misto de emoções, deixar um lugar que vocês gosta, que vocês de trabalhar, se sente bem. A princípio veio aquela proposta de vir candidato a deputado, quem estava aqui nessa Casa sabe que eu não queria ser candidato, e o partido lançou o vice-governador na chapa do Eduardo Paes (DEM) e aí surgiu essa oportunidade. Fui daqui no carro com [Dr.] Márcio [Bittencourt, MDB] falando, ‘tem que aceitar, tem que aceitar’, e eu não queria, mas aconteceu e foi bom, a eleição foi muito boa. Fomos muito referendados nas urnas, com quase 19 mil votos na cidade. Agradecer o apoio de todos vocês, de todos os companheiros. Foi fundamental para a trajetória, o sucesso, o aprendizado de cada um. Os funcionários desta Casa, da secretaria, meus parceiros, todo público presente, os vereadores”, agradeceu Welberth.

O vereador, que sempre se manteve aliado do governo, e pautou seus 6 anos de mandato no Legislativo municipal por evitar polêmicas e confrontos, apesar de defender pautas importantes para os servidores, principalmente na Saúde e na Guarda Municipal, deixa o mandato em breve como vereador mais votado do município em 2016, consagrado pelo resultado das urnas neste ano como um dos nomes fortes da política macaense na atualidade.

No que pode ter sido seu último discurso como vereador de Macaé, pelo menos pelos próximos 4 anos, Welberth garantiu ainda que se esforçará para defender os interesses de toda a população do Estado, mas especialmente da população de Macaé e da região.

Mais um – E o vereador pode ganhar em breve a companhia de um antigo conhecido de Legislativo macaense. Segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na noite da última terça-feira, 11, o ministro Og Fernandes pode alterar decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio (TRE-RJ), que tornou inelegível o candidato a deputado estadual Felipe Peixoto (PSD).

Felipe ficou inelegível em agosto desse ano, depois de ser condenado por uso indevido de meio de comunicação para atacar, durante as eleições municipais de 2012, seu então adversário, que viria a se tornar prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PPS), atualmente preso pela Operação Alameda, novo desdobramento da Lava Jato.

Caso a decisão do ministro do TSE seja por reverter a condenação, os votos de Felipe Peixoto afetariam o Quociente Eleitoral, aumentando o número de votos de seu partido, e assim, elegendo o ex-vereador de Macaé, Chico Machado (PSD).

Embora ainda aguarde decisão do ministro Og Fernandes para se tornar oficial, a informação foi divulgada no Facebook pelo novo presidente municipal do MDB de Macaé, André Longobardi, que parabenizou o ex-vereador.

Mais lidas da semana