Mídias Sociais

Política

Sessão da Câmara de Macaé neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, tem presidência da vereadora Iza Vicente

Publicado

em

 

Seguindo o que já se tornou uma tradição na Câmara Municipal de Macaé na semana do dia 8 de março, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher, o presidente da Casa, vereador Cesinha (PROS), passou a presidência da sessão à vereadora Iza Vicente (REDE), que abriu seu trabalho à frente da mesa diretora com falas importantes durante o Grande Expediente.

Mesmo reconhecendo a importância das homenagens, a vereadora ressaltou a necessidade de políticas públicas voltadas às mulheres, lembrou que todas as políticas públicas da nossa sociedade também precisam ser pensadas para as mulheres, que são maioria na população, não apenas na cidade, como no país e no mundo.

“O motivo da minha fala no Grande Expediente hoje é para a gente relembrar a importância do Dia Internacional da Mulher. É um dia simbólico, mas é um dia também de a gente revisitar algumas lutas históricas para as mulheres terem acesso ao trabalho, dignidade, e a igualdade. Então é importantíssimo a gente falar sobre esse dia. É um dia significativo, carregado de luta, de reconhecimento, e ao longo de toda minha vida eu convivi com muitas mulheres fortes, mesmo na sua doçura, na sua dificuldade, eram mulheres fortes enfrentando o dia-a-dia do que significa ser mulher no nosso país, principalmente uma mulher preta no nosso país”, disse Iza Vicente.

A vereadora também usou o espaço para repudir uma fala sexista do deputado estadual de São Paulo, Artur do Val (PODE), que afirmou que as mulheres ucranianas “são fáceis porque são pobres”, virando alvo de críticas dentro e fora do país, levando até mesmo à ex-embaixatriz ucraniana, Fabiana Tronenko, a pedir a cassação do parlamentar, em sua conta no Twitter.

“A gente sabe que todos os dias a gente tem que enfrentar muitas vezes comentários maldosos, e destaco aqui na minha fala, deixo meu repúdio à fala do deputado estadual de São Paulo sobre as mulheres refugiadas da Ucrânia. E isso é só um retrato de como as mulheres são vistas na nossa sociedade. Assim como aquele deputado, eu sei que muitos homens pensam dessa forma. A mulher num momento de vulnerabilidade infelizmente sendo cogitada e pensada numa questão de objetificação e da sexualização. A gente se posiciona contra isso. Sabemos que mulheres nessa situação passam por violência sexual, são vendidas como escravas. São situações que a gente já vivenciou no Brasil e ainda vivencia. Não precisa ir muito longe não para ver que até hoje meninas são vítimas na prostituição infantil e uma de série de outras coisas. Então eu gostaria de deixar registrado meu repúdio a essa fala e qualquer tipo de desumanização e objetificação das mulheres, principalmente num período de guerra, e também na paz, porque a gente sabe que a vida da mulher brasileira não está sendo fácil. Não está sendo fácil conviver com a carestia dos alimentos, com a violência, muitas mães que perdem seus filhos para a violência. Isso aqui é um dia de muitas homenagens bonitas, mas a realidade é que o cenário é muito doloroso, muito difícil, e contra isso a gente se posiciona”, afirmou Iza Vicente.

Citando seus projetos voltados para as mulheres neste ano de 2022, como os projetos de lei que, traçam diretrizes para o combate à violência obstétrica, atualizam a Lei das Doulas, e criam um selo de responsabilidade social para as empresas que empreguem mulheres em situação de vulnerabilidade, Iza Vicente também comemorou a proposta do governo de criar uma Secretaria de Políticas para as Mulheres.

Segundo a vereadora, a proposta, inédita no município, estaria na proposta do prefeito Welberth Rezende (CIDADANIA) de Reforma Administrativa, que tramita na Casa, e transformaria em secretaria a Coordenadoria Geral de Políticas para as Mulheres, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Acessibilidade.

“Inclusive, gostaria de destacar aqui, presidente (Cesinha), que na Reforma [Administrativa] enviada pelo prefeito há a criação de um órgão específico para tratar das políticas para mulheres, a Secretaria de Políticas para Mulheres. A gente reclama, a gente briga, mas tem que elogiar. É um órgão importante. Salvo engano, nunca teve um órgão com status de secretaria tratando dessa pauta, então é um reconhecimento, e que, todas essas leis, não só do meu mandato, vereador Luiz Matos (REPUCLICANOS) também apresenta muitas leis nessa temática, vereador Cesinha, possam se materializar e ser implementadas através dessa secretaria”, revelou a parlamentar macaense.

Por fim, Iza Vicente lembrou a importância de se pensar nas mulheres em todas as propostas de políticas públicas da cidade, já que todas elas afetam, direta ou indiretamente, a vida das mulheres macaenses.

“Quando a gente discute saneamento básico, a gente está discutindo a dona de casa que está sem água, que está com esgoto na porta. Quando a gente discute saúde, a gente está discutindo a mulher que muitas vezes está lá na fila pelo seu filho, pelo seu esposo, aguardando atendimento. Quando a gente discute mobilidade urbana, a gente está falando das mulheres que ficam no ponto para ir trabalhar. Quando a gente discute iluminação, são as ruas escuras, que acabam sendo inseguras para a mulher que está no seu dia-a-dia indo trabalhar, acorda cedo, à noite tem suas atividades. Então, tudo que a gente discute, é para a mulher. Porque a mulher, apesar de ser só uma aqui nesse plenário, é mais da metade da população. E, por isso, nós temos que ter nossos direitos garantidos, e esse dia é um dia de conquista, de celebração e de vitória”, concluiu Iza Vicente.

Mais lidas da semana