Mídias Sociais

Política

Secretaria de Saúde de Macaé apresenta dados da pasta referentes ao 2º quadrimestre deste ano

Publicado

em

 

Representantes da Secretaria de Saúde estiveram na Câmara na última segunda-feira, 24, para apresentação da prestação de contas em audiência pública

A Secretaria de Saúde de Macaé realizou, na última segunda-feira, 24, na Câmara Municipal, uma audiência pública com objetivo de promover a prestação de contas do segundo quadrimestre de 2018.

Segundo a prefeitura, a reunião, que foi aberta ao público e aconteceu no auditório da Câmara, serviu para que representantes da pasta pudessem apresentar os dados referentes à estrutura da Saúde e à prestação de serviços das unidades de atendimento primário, de média e alta complexidade.

Atualmente o município conta com 46 equipes de Estratégia Saúde da Família (ESF), Serviço de Regulação de Ambulâncias (192), 2 hospitais, sendo um com 212 leitos e o outro na localidade de Trapiche, na região serrana, com 30 leitos, duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e dois prontos-socorros.

Na sessão da Câmara desta terça-feira, 25, a Saúde também foi tema de debates entre os parlamentares, provocando atritos entre os vereadores Dr. Márcio Bittencourt (MDB) e Cristiano Gelinho (PTC), que discordaram quanto à responsabilidade por problemas na gestão do setor municipal.

Relatando impressões de uma comissão de vereadores que começou a visitar algumas unidades de saúde da rede municipal, Dr. Márcio criticou a gestão da pasta, enquanto Gelinho defendeu que a responsabilidade não deve ser jogada apenas aos gestores, mas também aos servidores.

Na audiência pública, a prefeitura reafirmou a proposta de expansão da Atenção Básica, e lembrou a inauguração, em julho deste ano, da Unidade Básica de Saúde (UBS) no bairro Barramares.

Os representantes da pasta da Saúde confirmaram que, com esse mesmo objetivo, mais 3 unidades, no mesmo padrão, estão sendo construídas nos bairros Ajuda, Parque Aeroporto e Nova Holanda.

A secretaria também revelou que vem adotando medidas de controle, com objetivo de reorganizar da rede de saúde no município, com ações como a implementação do cadastro dos usuários da Assistência Farmacêutica.

“Foi registrada uma queda de 33% do total de receitas atendidas no último quadrimestre em relação ao mesmo período de 2017. Nos últimos 4 meses foram 107.685 receitas atendidas; em 2017, entre maio e agosto, foram 160.875. Em relação ao serviço de alta complexidade, foi observada uma redução de 8,8% no número de atendimentos médicos no Hospital Público Municipal (HPM). No mesmo período o Pronto Atendimento e a maternidade da unidade tiveram uma redução de 10,8% e 7,6%, respectivamente. Já o setor de emergência teve um aumento de 31,9%”, contou a Secretaria de Saúde.


 

Mais lidas do mês