Mídias Sociais

Política

Secretária de Esportes é convocada a prestar esclarecimentos na Câmara de Macaé

Publicado

em

 

Líder do governo, Julinho do Aeroporto (PMDB) tenta, mas presidente da Câmara de Macaé, Dr. Eduardo Cardoso (PPS), dá voto de minerva e convocação de secretária é aprovada por 8 a 7

Os vereadores de Macaé decidiram, em sessão ordinária desta terça-feira, 10, pela convocação da Secretária de Esportes, Andreia Freitas, que deverá comparecer à Câmara Municipal no próximo dia 9 de maio, para prestar esclarecimentos sobre sua administração na pasta.

Como apenas 2 meses no cargo, Andreia, que assumiu a gestão da pasta em 25 de janeiro desse ano, foi alvo de requerimento do vereador Marvel (REDE), que apresentou solicitação para sua convocação pelo não-comparecimento da gestora à uma Audiência Pública realizada nesta segunda-feira, 9, para debater a situação do Bolsa Atleta municipal.

Líder do governo da Câmara, o vereador Julinho do Aeroporto (PMDB), bem que tentou derrubar o requerimento, alertando para os motivos políticos da convocação, e revelando que a vinda da secretária não traria os esclarecimentos pretendidos pelo oposicionista.

“Vejo esse requerimento como uma convocação política partidária e não social. E por isso eu votarei contra e explicarei o porquê. Tivemos Audiência Pública ontem (segunda, 9) e fiquei sem entender algumas coisas. Se o assunto é o Bolsa Atleta, a Procuradoria Geral do Município (PGM) e a Secretaria de Esportes já tem uma minuta para melhorar o projeto de lei. Uma das nossas propostas é de reduzir de 14 anos para 12 anos [a idade mínima para receber o benefício]. Em todos esses programas, tanto do governo federal, quanto do governo estadual, uma das maiores prerrogativas é a renda, a comprovação de renda. Mas aqui em Macaé, um cidadão que recebe 7,8 mil reais, recebeu no ano passado Bolsa Atleta de 3 mil reais. Enquanto outro, que recebe 1,2 mil reais, recebeu Bolsa Atleta de 350 reais. Você acha isso justo? Existe um esporte que é mais importante que outro esporte? Claro que a lei precisa ser mudada”, discursou Julinho.

No entanto, sua defesa, dessa vez, de nada adiantou. Apoiados não apenas nas divergências sobre o programa municipal, mas também pelas recentes polêmicas envolvendo a administração do Estádio Cláudio Moacyr de Azevedo, o Moacyrzão, os oposicionistas conseguiram a aprovação do requerimento, em votação com direito a empate em 7 a 7 e voto de minerva do presidente da Câmara, Dr. Eduardo Cardoso (PPS), fechando o placar em 8 a 7 a favor da vinda da gestora.

Depois de muita polêmica, o autor do requerimento ainda justificou seu voto e sua proposição defendendo que as sugestões do líder do governo não servem ao programa do Bolsa Atleta e que, se ele deveria guardá-las para um programa social e não para atletas de alto rendimento.

“Isso não tem a ver com Bolsa Atleta [as sugestões de Julinho]. Que o vereador use para um novo projeto social para contemplar as crianças que fazem atividade esportiva. As ideias do vereador são ótimas, mas não tem nada a ver”, ironizou Marvel.


 

Mais lidas do mês