Mídias Sociais

Cidades

Robson Oliveira vai a Cedae cobrar água para a população: Macaé é interior, mas não é inferior, diz

Bertha Muniz

Publicado

em

 

A crise da falta de água em Macaé motivou a ida do gabinete itinerante do vereador Robson Oliveira, à Central de Captação de Severina, na manhã desta segunda-feira (26).

O problema, antigo na cidade, piorou ainda mais depois da disputa entre a prefeitura de Macaé e a Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae).

Durante a visita, o parlamentar solicitou, através de uma live nas redes sociais, que os vereadores da Câmara Municipal de Macaé, agilizem as providências que levem soluções aos moradores, que há anos convivem com o problema.

“Agora, mais que nunca, convoco à Câmara de Vereadores de Macaé, para que possamos colocar em prática o mais rápido possível a CPI da Cedae, pois não aguentamos mais a falta de respeito  que essa empresa tem com a população. Macaé é interior, mas não é inferior”, destacou Robson.

Durante a visita à Central de Severina, Robson Oliveira destacou a falta de atenção do poder público, do estado e da estatal para o local onde é captada toda a água distribuída aos lares macaenses.

Em Severina foram encontradas peças emendadas, falta de equipamentos adequados e uma captação quase "artesanal" do recurso hídrico.

“ São 700 litros captados por segundo, o que hoje já não dá mais conta de abastecer toda a cidade de forma justa. Além disso, vimos aqui que só há três bombas, se uma queimar, ficamos deficiente, sem contar com a falta de um gerador num local tão importante como Severina. Ou seja, se acabar a luz aqui, acaba a água nas torneiras da população”, salientou o vereador.

Após a visita a Severina, Robson e a  equipe do Gabinete Itinerante foram até a Estação de Tratamento de Água (ETA) do Morro de Santana, onde, segundo o parlamentar, foram impedidos de entrar.

"Chegamos à ETA do Morro de Santana, e não conseguimos ouvir da Cedae porque está faltando água em Macaé e o que está acontecendo com os recursos hídricos da cidade. Estamos sem água nesta briga entre prefeitura e Cedae. Agora a situação piorou. Não cai uma gota de água nas torneiras das casas dos macaenses. Fui impedido como vereador, poder legislativo, fiscalizador, de verificar como estão tratando nossa água. Aqui de fora o que vemos é uma grande quantidade de mato alto, muita sucata e sujeira. Está na hora de termos bombas de qualidade, espaço adequado e respeito pela população", pontuou Robson.

Mais lidas da semana