Mídias Sociais

Política

Programa de testes do coronavírus da Firjan e do SESI para a indústria fluminense segue até março deste ano

Avatar

Publicado

em

 

A Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan) divulgou nesta semana dados de um programa do Serviço Social da Indústria (SESI) que promoveu testes para coronavírus em trabalhadores da Região do Norte Fluminense.

Com mais de mil trabalhadores da região testados, a Firjan anunciou que o programa de testagem foi prorrogado até março desse ano, quando se completa 1 ano desde o início da pandemia, em março de 2020, auxiliando a indústrias a garantir a segurança das atividades neste ano de 2021.

De acordo com a Firjan, a iniciativa vem ajudando os trabalhadores da indústria fluminense a exercerem suas atividades de forma segura e saudável, ao ponto de já ter realizado um total de 1.122 testes em profissionais do Norte e Noroeste Fluminense.

“O programa traz segurança não só para os trabalhadores e suas famílias, como também para o empresário e a própria economia fluminense. E certamente, isso contribuiu para que a região se destacasse na retomada de empregos ainda durante a pandemia, de forma segura e responsável”, disse o presidente da Firjan Norte Fluminense, Francisco Roberto de Siqueira.

Ainda segundo a Firjan, até o último dia 7 de janeiro, já foram realizados 574 exames em Macaé e 295 em Campos, além de outros testes realizados também em cidades do Noroeste Fluminense, como Itaperuna (152), Santo Antônio de Pádua (90) e Bom Jesus do Itabapoana (11), atendendo 19 indústrias no total.

O programa de testagem de trabalhadores começou em abril de 2020, aplicando mais de 34 mil exames em 805 empresas em todo o Estado do Rio, utilizando o método RT-PCR, que coleta secreções da garganta e das narinas, e que é considerado por especialistas como sendo um dos mais confiáveis.

A Firjan reforça que o serviço é exclusivo para os trabalhadores da indústria via solicitação de pessoa jurídica, mas não é extensivo aos dependentes, ou seja, às famílias dos trabalhadores, devido à priorização do atendimento para a cadeia produtiva da indústria fluminense.

Conforme os dados divulgados pelo programa, quase 90% dos testes realizados em todo o Estado do Rio foram feitos a pedido de empresas de pequeno porte, que até 100 colaboradores, podem solicitar o serviço de forma gratuita, enquanto que, para as demais empresas, os testes saem a preço de custo.

Mais lidas da semana