Mídias Sociais

Política

Primeiro voo vindo de São Paulo pousa no Aeroporto de Macaé nesta quarta-feira, 30, para comemoração da cidade

Avatar

Publicado

em

 

Pousou no Aeroporto de Macaé, na tarde desta quarta-feira, o primeiro voo vindo do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, operado pela VoePass, como a Passaredo prefere ser chamada, em conjunto com a MAP Linhas Aéreas.

Foram 4 anos de espera desde que a Azul Linhas Aéreas anunciou o fim das suas operações até o anúncio do retorno dos voos comerciais de passageiros para o Aeroporto de Macaé, feito em setembro, pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

No último domingo, 27 de outubro, a VoePass iniciou os voos entre as duas cidades, com a presença do vereador Luciano Diniz (MDB), indicado pela Câmara Municipal de Macaé pela sua importância nas articulações políticas para o retorno dos voos ao município.

Porém, devido a um atraso da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), a nova pista de pouso e decolagem, cujas obras foram entregues em março deste ano, juntamente com as obras do novo terminal de passageiros, não foi liberada e o tão esperado voo inaugural acabou tendo que pousar no Aeroporto de Cabo Frio, com os passageiros tendo que completar o trajeto por vias terrestres.

Pressionada por entidades empresariais e grupos políticos de Macaé, a Infraero conseguiu agilizar a petição para a liberação da pista, depois de 3 voos Congonhas-Macaé sendo obrigados a pousar em Cabo Frio.

A liberação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira, 30, atestando a segurança da pista para receber aeronaves do modelo ATR 72, usadas tanto pela VoePass, que faz o trajeto Congonhas-Macaé e Macaé-Congonhas, quanto pela Azul Linhas Aéreas, que anunciou voos de Macaé para o Rio de Janeiro e Campos dos Goytacazes a partir de dezembro.

Em 2015, os voos foram encerrados no município justamente depois que a Azul anunciou que estava retirando de sua frota, as aeronaves modelos ATR 42, em substituição pelos modelos ATR 72, com a justificativa, na época, de modernizar a frota.

Desde então, entidades como a Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), o Macaé Convention & Visitors Bureau, a Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM), bem como a Câmara Municipal de Macaé e outros grupos políticos se empenharam em modernizar a pista do aeroporto, que, na época, não tinha condições de receber voos de aeronaves mais pesadas, como os ATR 72.

Foram 4 anos de articulações, solicitações, visitas de deputados estaduais, federais e senadores, encontros com representantes do governo federal, e esforços da Câmara, e da prefeitura, para que obras fossem feitas no Aeroporto de Macaé com esse objetivo, algo que se concretizou em março desse ano, quando foram entregues as obras da nova pista e do novo terminal de passageiros.

Dias depois, o município deu mais um importante passo para o retorno não apenas dos voos ao município como de investimentos no transporte aeroviário, quando a Zurich Airport venceu o leilão de concessões do Bloco Sudeste, arrematando a administração dos aeroportos de Macaé e de Vitória, no Espírito Santo.

Gerente de aeroportos da VoePass, Valdemir Mayr informou nesta quarta-feira que nesses primeiros 4 de operação dos voos entre a capital paulista e a Capital Nacional do Petróleo, a empresa já opera com procura de 50%, lembrando que os primeiros 3 voos eram para Cabo Frio, devido aos problemas da pista do aeroporto macaense.

Por telefone, Valdemir Mayr explicou ainda que a iniciativa da VoePass, que herdou 26 linhas da Avianca Brasil, atualmente fora do mercado, ao colocar o Aeroporto de Macaé entre seus destinos, foi atender de imediato uma alta demanda do município que é um dos mais importantes do país para a cadeia produtiva de petróleo.

Segundo ele, conforme o aumento da demanda, acompanhando o já comprovado momento de retomada da indústria petrolífera com a geração de emprego e renda na região, no Estado do Rio e no país, a empresa não descarta, no futuro, fazer estudos para aumentar a oferta de horários dos voos entre Macaé e São Paulo, bem como o desenvolvimento de novas rotas.

De acordo com o site da empresa, os voos Congonhas-Macaé estão saindo da capital paulista às 14h25 com previsão de chegada ao aeroporto macaense às 15h40, e com retorno às 18h25, com chegada em São Paulo ás 20h05. Os preços variam em torno de 400 reais.

Mais lidas da semana