Mídias Sociais

Destaque

Presidente da Câmara de Macaé explica problemas de internet do Legislativo neste início de ano

Publicado

em

 

Mesmo com fim do contrato, sessões devem voltar a ser transmitidas nos próximos dias. 

Quem esperava ansiosamente para acompanhar pela internet a primeira sessão ordinária da Câmara Municipal de Macaé em 2018, depois de mais 50 dias de recesso parlamentar, recebeu uma surpresa ao não encontrar a transmissão nos canais do site da Câmara e do YouTube, este último por onde o Legislativo macaense passou a transmitir as sessões em 2017.

O motivo, segundo o presidente da Casa, Dr. Eduardo Cardoso (PPS), foi o fim do contrato com a antiga empresa prestadora do serviço no ano passado, e a ausência de empresas interessadas durante a primeira licitação desse ano.

“O problema da internet da Câmara se deu por causa do contrato. Esse contrato se encerrou no ano passado, e nós abrimos uma licitação esse ano, mas não tivemos nenhuma empresa interessada. Fizemos uma segunda chamada, mas se não aparecer nenhuma vamos ficar sem internet”, explicou Dr. Eduardo.

Segundo ele, apesar da grande necessidade do serviço, existiria uma dúvida sobre a urgência do serviço, que permitiria a contratação em caráter emergencial, sem licitação, mas o presidente ficou preocupado de que o Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) possa não ter esse entendimento, o que acarretaria problemas à sua gestão à frente do Legislativo.

Perguntado sobre o vereador Marcel Silvano (PT) a respeito da transmissão das sessões, Dr. Eduardo explicou que, mesmo sem o serviço de internet, as sessões continuariam sendo gravadas, e uma cópia seria feita para cada vereador, que, assim, poderia fazer a divulgação em seus canais pessoais na internet.

O motivo da ausência de interessados, de acordo com o presidente da Casa, teria sido uma redução dos valores a serem gastos com o serviço, depois que uma pesquisa de mercado feita pela Câmara encontrou preços abaixo dos gastos em 2017.

“A segunda chamada da licitação já foi publicada em jornais de grande circulação municipal, e também no nosso site, obedecendo aos rigores da lei, mas eu entendo que o problema não é a publicidade e sim os preços. Eu entendo que o preço não interessou às empresas que prestavam esse serviço antes”, disse o presidente da Câmara, que avisou que, mesmo assim, as sessões devem voltar a ser transmitidas em breve.

 

Tunan Teixeira

Foto: Tiago Ferreira


 

Mais lidas do mês