Mídias Sociais

Destaque

Prefeitura de Macaé anuncia novos secretários de Habitação, Cultura e Obras

Avatar

Publicado

em

 

Filho do presidente da Câmara volta ao alto escalão do governo municipal

 

Tunan Teixeira

 

Conforme foi ventilado por blogs de jornalistas da cidade, a Prefeitura de Macaé anunciou nesta terça-feira, 2 de outubro, mudanças na gestão das secretarias de Cultura, Obras e na adjunta de Habitação.

Os anúncios foram feitos através de publicação nos atos oficias do município, confirmando alguns prognósticos, mas também revelando algumas novidades nas alterações de comando das pastas.

Uma das que poderiam ser consideradas novidades foi a troca do ex-secretário de Obras, Antônio Pires Filho, pelo ex-coordenador Especial de Urbanismo, Saulo Ramos de Souza. Saulo Ramos, agora chefiará a Secretaria de Obras, enquanto Pires Filho fica na Coordenação Especial de Urbanismo.

As demais mudanças apenas confirmaram as informações que haviam sido vazadas a alguns jornalistas nas últimas semanas. Na Secretaria de Cultura, que também responde pela Fundação Macaé de Cultura (FMC), Tânia Jardim Mussi dá lugar ao ex-secretário de Esportes, Thales Coutinho, filho do Presidente da Câmara, Dr. Eduardo Cardoso (PPS).

Curiosamente, Thales deixou a pasta do Esporte em abril deste ano, insatisfeito com as condições financeiras da secretaria, principalmente após o desabamento de parte da estrutura do Ginásio Poliesportivo Engenheiro Mauricio Bittencourt, onde estava sediada a secretaria.

Mas o retorno de Thales não deixará Tânia Jardim de fora do alto escalão do governo. A ex-secretária de Cultura assume a Secretaria Adjunta de Habitação, até então comandada pela competente Alessandra Aguiar, uma das grandes responsáveis pelo sucesso do Minha Casa, Minha Vida, programa de habitação do governo federal realizado em parceria com a atual gestão do município.

Com a finalização do programa, após a realização do sorteio, no dia 17 de setembro deste ano, a prefeitura conseguiu realizar o objetivo de entregar 2.208 unidades habitacionais, concluindo o maior programa habitacional da história da cidade, e um dos maiores do interior do Estado do Rio.

Segundo fontes do governo, porém, apesar do bom trabalho nas articulações com o governo federal, então na gestão do PT, mesmo partido da ex-secretária, e mesmo nos sorteios dos domicílios, a equipe estaria, deliberadamente, atrasando a entrega das moradias, o que teria incomodado o governo.

Além disso, a saída de Alessandra também teria como alvo o vereador Luciano Diniz (PMDB), ex-PT, que a indicou ao cargo. De acordo com fontes do governo, declarações do vereador agradecendo aos ex-presidentes petistas, Lula e Dilma, e até a si mesmo, sem dar muito crédito à atual gestão municipal, teria contribuído para a saída da ex-secretária.

De todas as mudanças no alto escalão do governo ventiladas pela imprensa nas últimas semanas, a única que ainda aguarda confirmação é a que indicava que o também vereador, Zé Prestes (PPS), poderia assumir a Secretaria de Agroeconimia, atualmente comandada por Alcenir Maia Costa. Até a manhã desta terça-feira, 2, nenhuma informação, seja da prefeitura ou do próprio vereador havia sido dada a esse respeito, mas fontes ligadas ao governo dão como certa a saída do vereador rumo ao Executivo, o que abriria uma vaga na Câmara para o radialista Robson Oliveira (PSDB), próximo suplente da coligação PPS/PROS/PSDB.

Foto: Mauricio Porão

Mais lidas da semana