Mídias Sociais

Política

Prefeito de Macaé revoga obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados na cidade

Publicado

em

 

O prefeito de Macaé, Welberth Rezende (CIDADANIA), revogou a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados, terminando assim com a necessidade do uso do equipamento de prevenção ao contágio do coronavírus na cidade.

A prefeitura justificou a decisão alegando que Macaé alcançou a taxa 0 de ocupação de leitos de enfermaria e CTI (Centro de Tratamento Intensivo), reduzindo pela metade a taxa de positividade de novos casos do coronavírus e chegando a 68% da população vacinada com duas doses e dose única.

“Diante do cenário de queda nos principais indicadores da pandemia, analisado ao longo dos últimos 15 dias pelo Comitê Especial de Acompanhamento e Enfrentamento à Pandemia da Covid-19 (sigla, em inglês, para Coronavirus Diasease 2019), o município amplia as flexibilizações dos protocolos sanitários de enfrentamento à doença, priorizando o acesso da população à estratégia de imunização, ampliando polos e expandindo o horário de vacinação da 1ª e 2ª dose, além da dose de reforço (3ª dose)”, explicou o município.

O prefeito Welberth Rezende também revelou que a decisão de revogar a obrigatoriedade do uso de máscaras na cidade foi tomada após conversas com especialistas, além de reforçar a importância das medidas para vacinação.

“Avaliamos os indicadores, ouvimos os especialistas e investimos na vacinação. Chegamos ao cenário que nos permite adotar medidas de flexibilização no uso das máscaras, mantendo a vigilância e monitoramento. Acreditamos que estamos em uma nova fase, graças aos esforços dos profissionais da Saúde que seguem no enfrentamento à pandemia”, contou Welberth Rezende.

Apesar da decisão, o decreto do prefeito recomenda que as pessoas continuem usando máscaras no transporte coletivo, nas instituições de ensino públicas e privadas, nas instituições bancárias, em asilos e instituições de longa permanência, nas unidades de saúde, e nos terminais rodoviários e aeroportuários.

O decreto recomenda também que pessoas que apresentam sintomas respiratórios, além de idosos, gestantes e imunossuprimidos, sigam usando máscaras como medida de prevenção ao contágio do coronavírus.

Mais lidas da semana