Mídias Sociais

Política

Operação Apagão cumpre mandatos de busca e apreensão em endereços de Prefeita e ex-Secretários de Iguaba Grande

Publicado

em

 

Nove mandatos de busca e apreensão foram realizados nesta terça-feira, 19, em Iguaba Grande, durante mais uma ação da operação Apagão. Entre os endereços investigados estão o da prefeita de Iguaba Grande, Ana Grasiella Moreira Figueiredo Magalhães e de ex-secretários do Município.

Segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público, a prefeita e os demais denunciados aceitaram montar um esquema de pagamento de propina, arrecadando vantagens ilícitas por meio de pagamentos, para que uma empresa do ramo de iluminação pública vencesse processo licitatório.

Na lista de envolvidos no esquema além da ex-prefeita, foram denunciados o ex-secretário de governo Mauro Siqueira Gomes; o ex- secretário de obras Luis Jeronymo de Mesquita; a presidente da comissão de licitação, Valéria Santana Herdy; e outras duas pessoas denunciadas nas fraudes. O total de nove endereços se justifica em razão de alguns dos denunciados, como a prefeita, terem mais de um endereço para busca.

A ação realizada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atribuição Originária Criminal da Procuradoria-Geral de Justiça (GAOCRIM/MPRJ), a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), e a Polícia Civil, por meio do Grupo de Trabalho da Delegacia Fazendária faz parte de mais um desdobramento da Operação Apagão.

Ana Grasiella, agora afastada do cargo por decisão do Tribunal de Justiça, era mantida no cargo em função de liminar obtida junto ao STF. Detalhes da denúncia seguem, até o presente momento, sob sigilo decretado pelo TJRJ.

 

Operação apagão - Uma ação similar foi realizada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, em São Gonçalo. Na ocasião, um grupo foi acusado de irregularidades no processo de licitação que originou o contrato firmado entre o Município de São Gonçalo e a empresa Compillar Entretenimento Prestadora de Serviços Eireli. A contratação foi feita para fornecimento de uma gestão informatizada de manutenção da iluminação pública. O acordo foi fechado pelo valor de R$ 15,5 milhões, com validade de 12 meses. Depois, foi renovado por duas vezes.

 

 

Mais lidas da semana