Mídias Sociais

Política

Nova pesquisa eleitoral para presidente mostra Lula na liderança novamente

Avatar

Publicado

em

 

Vice na chapa de Lula (PT), Fernando Haddad (PT) pode virar candidato a presidente com Manuela D’Ávila (PCdoB) de vice caso candidatura do ex-presidente seja barrada pela Justiça Eleitoral

Preso desde abril deste ano na Polícia Federal de Curitiba, no Paraná, o ex-presidente Lula (PT) segue liderando toda as pesquisas de intenção de voto visando as eleições para presidente da república, no próximo dia 7 de outubro.

Em pesquisa realizada e divulgada pelo DataPoder360, Lula aparece na ponta com 30% das intenções de voto, deixando para trás o deputado federal, Jair Bolsonaro (PSL), que soma apenas 21%, assim como o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que aparecem empatados com 7%.

Em quinto lugar, está Marina Silva (REDE), que tem 6%, o que a coloca tecnicamente empatada com Alckmin e Ciro, já que a margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Em seguida, aparecem Alvaro Dias (PODE), com 3%, e Cabo Daciolo (PATRI) e Henrique Meirelles (MDB), com apenas 2%. O levantamento, realizado por telefone entre os 24 a 27 de agosto, entrevistou 5.500 moradores de 329 municípios das 27 unidades da federação, de acordo com o portal Poder360.

A pesquisa, que não trouxe um cenário sem Lula, mostrou ainda o potencial do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), vice na chapa do ex-presidente, e que pode se tornar candidato caso a candidatura de Lula seja barrada na justiça.

Apesar de Lula estar preso desde o início de abril cumprindo pena pela condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o que pode inviabilizar sua candidatura, o portal Poder360 informou que a pesquisa não testou cenários sem o ex-presidente para se focar em questionamentos específicos para saber o potencial de voto dos candidatos.

Primeira a mostrar o potencial de Haddad na disputa, como “candidato apoiado por Lula”, a pesquisa revela que o ex-prefeito de São Paulo teria 34% de potencial de votos, contra apenas 25% de Bolsonaro, um dos últimos na lista.

Nessa pesquisa, o DataPoder360 listou aos entrevistados as possibilidades de “votaria com certeza”, “poderia votar” e “não votaria de jeito nenhum”, o que, pela primeira vez desde as pré-candidaturas, coloca Fernando Haddad no páreo.

Como indicado de Lula, o petista soma 8% de “votaria com certeza” e 26% de “poderia votar”, totalizando seus 34%. No primeiro quesito, “votaria com certeza”, Haddad aparece tecnicamente empatado com Ciro Gomes (9%), Bolsonaro (8%) e Alckmin (7%), e à frente de Álvaro Dias (6%) e de Marina (5%).

Já quando perguntados se poderiam votar nos candidatos, Bolsonaro fica para trás, com apenas 17%, o que somam seus 25% de potencial de votos. Os demais candidatos aparecem tecnicamente empatados, com Alckmin na ponta, com 27%, totalizando 34% de potencial de votos, seguido por Haddad (26%), Ciro (26% de poderia votar, e 35% de potencial), Marina (26% e 31%), Álvaro Dias (26% e 32%).

Curiosamente, nesse panorama, o maior potencial de votos aparece para um “candidato apoiado por Lula” sem nome definido, com 25% de “votaria com certeza” e 17% de “poderia votar”, fechando com um potencial de 42%.

Na ponta da rejeição, Bolsonaro é o que aparece com o maior percentual de “não votaria de jeito nenhum”, com 67%, contra 62% de Alckmin, 61% de Marina e Ciro, e 60% de Lula. Haddad e Álvaro Dias são os nomes menos rejeitados, com apenas 52%, enquanto que um “candidato apoiado por Lula” teve rejeição de 55%.

Se a candidatura de Lula for impugnada pela Justiça Eleitoral, Fernando Haddad será o candidato do PT na disputa pela presidência da república, com a deputada estadual gaúcha, Manuela D’Ávila (PCdoB) como vice numa nova chapa.

Vale lembrar que, assim como Lula, Bolsonaro também pode ter a candidatura barrada pela Lei da Ficha Limpa caso seja condenado pelo Supremo Tribunal Federal pelos crimes de racismo e xenofobia, durante um discurso no clube Hebraica, no Rio de Janeiro, em abril deste ano.

Mais lidas da semana