Mídias Sociais

Política

MPRJ divulga que recomendou recuo na flexibilização de Rio das Ostras e cobra fiscalização da prefeitura

Avatar

Publicado

em

 

O anunciado recuo nas medidas de flexibilização das atividades comerciais pela Prefeitura de Rio das Ostras na última semana ganhou nova justificativa nesta semana, quando o portal do Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ) informou ter recomendado a prefeitura a reverter o afrouxamento das medidas de isolamento social e restrição de circulação, medidas para prevenção do coronavírus.

Desde o final de junho, o município liberou a reabertura de bares e restaurantes, além de não estabelecer uma fiscalização rígida do cumprimento das medidas de prevenção, já que é possível observar grande quantidade de pessoas nas ruas, muitas sem máscaras, em vários pontos da cidade.

Expedida no fim da última semana por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Macaé, a recomendação coincide com o anúncio da prefeitura do recuo da flexibilização, e ressalta que “a situação epidemiológica do município de Rio das Ostras apresentou uma regressão contínua, passando da bandeira ‘Amarelo 1’ para a mais que preocupante faixa, a ‘Laranja’”.

Entre as medidas recomendadas, o MPRJ determina a adoção “ampla e irrestrita” de todos os termos e condições inseridas na faixa laranja do plano de recuperação gradual municipal, além de indicar à prefeitura que revogue a liberação da realização de cultos e reuniões presenciais em templos religiosos de toda ordem, “por absoluta e manifesta incompatibilidade com a atual e grave fase epidemiológica”.

Ainda segundo a determinação, o MPRJ quer que a prefeitura, faça uma ostensiva campanha informativa diária para a conscientização da população de Rio das Ostras sobre a grave fase epidemiológica do município, que registrou 79 casos confirmados do coronavírus no último final de semana.

Segundo boletim informativo da prefeitura divulgado nesta segunda-feira, 27, o município de Rio das Ostras registra 1.292 casos confirmados e 55 mortes por coronavírus.

Mais lidas da semana