Mídias Sociais

Política

Ministério Público do Rio cobra de Cabo Frio investimentos mínimos em educação

Publicado

em

 

Ação Civil Pública cobram do município aplicação mensal de recursos garantidos por legislação federal

Tunan Teixeira

 

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) ajuizou uma Ação Civil Pública para cobrar da Prefeitura de Cabo Frio a aplicação do mínimo de 25% da receita, exigido pela legislação federal.

A ação foi feita através do Grupo de Atuação Especializada em Educação (GAEDUC) do MP-RJ, e da 1ª Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude de Cabo Frio, com o objetivo de garantir a aplicação de, no mínimo, 25% da Receita Corrente Líquida (RCL), na manutenção e desenvolvimento da Educação, como assegurado pela Constituição Federal, através da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).
De acordo com a ação, os relatórios resumidos de execução orçamentária do município demonstram que a prefeitura deixou de aplicar mais de 33 milhões de reais na educação no ano de 2016, durante a administração do ex-prefeito Alair Corrêa (PP).

O problema, segundo o MP-RJ, é que a prática irregular vem se mantendo na atual gestão municipal, do Prefeito Marquinho Mendes (PMDB).

Segundo o MP-RJ, nos 3 primeiros trimestres de 2017, a Prefeitura de Cabo Frio teria aplicado na Educação, respectivamente, 14,70%, 16,62% e 18,13% da RCL. O MP-RJ responsabiliza ainda o baixo investimento pelas greves decorrentes do não pagamento de salários, levando imenso prejuízo à população.
Na ação, o MP-RJ pede que a prefeituras faça um plano de recomposição dos valores não aplicados na Educação, além de pleitear a concessão de tutela de urgência, para que o município seja obrigado a aplicar, imediatamente, o mínimo constitucional de 25%.

Além dessas medidas, também estão a promoção da abertura de conta corrente específica para depósito destes recursos.

Ainda de acordo com o MP-RJ, essa conta deverá ser gerida pelo Secretário de Educação, Alessandro Teixeira, garantindo-se a necessária transparência na gestão dos recursos públicos.

Foto: Reprodução

Mais lidas da semana