Mídias Sociais

Política

Macaé reforça importância da vacinação contra o coronavírus para espantar risco de 4ª Onda na cidade

Publicado

em

 

Enquanto os casos confirmados do coronavírus voltam a subir em vários pontos do país, fazendo especialistas e autoridades falarem até mesmo em uma 4ª Onda da pandemia, a Prefeitura de Macaé anunciou uma campanha municipal de vacinação para a aplicação da 4ª dose, ou 2ª dose de reforço.

A vacinação será voltada para as pessoas com idade a partir de 50 anos, e também para todos os trabalhadores da Saúde que já completaram 4 meses da aplicação da 3ª dose, e terá atendimento até esta sexta-feira, 10, das 8h às 17h.

Para receber a 4ª dose, a população com idade a partir de 50 anos precisa apresentar documento de identificação com foto, CPF ou Cartão do Sistema Único de Saúde (SUS), e comprovante de vacinação da 3ª dose.

Além desses documentos, os trabalhadores da Saúde devem apresentar uma cópia da Carteira de Classe, da Carteira de Trabalho, do contra-cheque, ou de um contrato de prestação de serviço com declaração de vínculo empregatício ativo do empregador com CPF ou CNPJ.

A prefeitura reforça ainda que a vacinação contra o coronavírus na cidade segue também com a aplicação da 1ª e da 2ª dose para pessoas com idade a partir dos 5 anos, e com aplicação da 3ª dose para todas as pessoas a partir de 12 anos que já completaram 4 meses de aplicação da 2ª dose.

De acordo com informações divulgadas pelo consórcio de empresas de comunicação que contabilizam os casos confirmados e de mortes por coronavírus, com dados das secretarias estaduais de Saúde, até esta segunda-feira, 6, o país apresentava quase 29 mil casos novos nas últimas 24 horas anteriores, aumentando a média de móvel de casos em 7 dias para 92%.

Segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e outros especialistas ouvidos pelo portal UOL nesta semana, a alta de casos preocupa, representando um risco de uma 4ª Onda, mas, na visão deles, a chance de casos graves e de mortes deve ser menor do que em outras ondas, devido à alta taxa de vacinação em vários pontos do país.

Reforçando a importância da imunização, a Prefeitura de Macaé, além das vacinas contra o coronavírus, também oferece vacinas contra a influenza e a testagem de casos suspeitos do coronavírus para pessoas com síndrome gripal atendidos em 6 unidades de referência do município.

Nesta segunda-feira, 6, o secretário de Saúde, Alexandre Cruz (CIDADANIA), se reuniu com secretários adjuntos de Atenção Básica, Luiz Carlos Braga, e de Alta de Média Complexidade, Mayara Rezende, para avaliar os novos dados epidemiológicos registrados em Macaé na última semana.

De acordo com a prefeitura, os dados comprovam a necessidade de a população seguir a recomendação do uso de máscaras em ambientes fechados, decretadas no último dia 23 de março, lembrando que o uso contínuo de máscaras em espaços abertos e fechados, e principalmente para idosos, gestantes, imunossuprimidos e pessoas com comorbidades em todos os ambientes.

“Neste período do ano, em que doenças respiratórias são comuns pelas condições causadas pelas baixas temperaturas, a utilização das máscaras é importante para reduzir a circulação desses vírus. Estamos monitorando de perto a incidência de casos de Covid-19 (sigla, em inglês, para Coronavirus Disease 2019) e Influenza, e o principal alerta à população é completar o esquema vacinal (duas doses das vacinas da CoronaVac, da AstraZeneca ou da Pfizer, ou a dose única da vacina da Janssen) o quanto antes”, alertou Alexandre Cruz.

O município lembra que, em Macaé, as unidades de referência para atendimento a pacientes com síndrome gripal são as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Barra e do Lagomar, os Pronto Socorros (PSs) do Parque Aeroporto e da Imbetiba, o Hospital Público Municipal da Serra (HPMS) e a Unidade Mista de Saúde do Sana.

De acordo com a equipe de Coordenadoria Especial de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Saúde, essas unidades realizam, em média, 200 exames, seja de PCR e de antígeno, para o diagnóstico do coronavírus.

Ainda segundo a prefeitura, desde o início da pandemia, que teve o 1º caso confirmado em Macaé em 27 de março de 2020, a cidade já registrou 38.809 casos positivos do vírus e 823 mortes provocadas pelo coronavírus.

“Não registramos um cenário de alta no número de pacientes positivos da Covid-19 que evoluem para casos graves. Não registramos óbitos por coronavírus desde março. Mas seguimos em estágio de atenção, avaliando todos os indicadores, e nos preparando para definir novas medidas que garantam a proteção e total assistência a nossa população”, afirmou Luiz Carlos Braga.

Mais lidas da semana