Mídias Sociais

Política

Macaé adiciona mais 8 unidades ESF como postos de vacinação contra o coronavírus no município

Publicado

em

 

A Prefeitura de Macaé divulgou, nesta semana, que os moradores do município que ainda não receberam a 1ª, a 2ª ou a 3ª dose das vacinas contra o coronavírus terão novos postos de imunização a partir desta quinta-feira, 4.

De acordo com a prefeitura, a vacinação atenderá quem ainda não tomou a 1ª dose, quem perdeu o prazo ou está com o retorno agendado para esta semana da 2ª dose, ou para idosos e profissionais de saúde que estão na lista da 3ª dose, também chamada de dose de reforço, por terem tomado a 2ª dose até dia 30 de abril.

Os novos postos de vacinação funcionarão em unidades de Estratégia de Saúde da Família (ESF), no período da manhã, e que passam a integrar o calendário municipal de vacinação contra o coronavírus no município.

Os novos postos de vacinação serão as unidades ESF Morro de São Jorge, Bosque Azul, Ajuda A e Ajuda C, Jardim Franco, Horto, Virgem Santa e Engenho da Praia, que se juntam às unidades ESF Praia Campista, Malvinas, Visconde, Cajueiros, Campo D’Oeste, Botafogo, Aroeira, Imbetiba, Lagomar A/D e Lagomar B/C, Barra de Macaé e Brasília, Nova Holanda, Nova Esperança e Ajuda de Baixo.

O município lembra que as vacinas contra o coronavírus estão disponíveis também nos postos de vacinação na região serrana, nas unidades ESF Sana, Frade, Bicuda, Glicério, Trapiche, Areia Branca e Córrego do Ouro.

Além das unidades ESF da região central e da região serrana, também fazem parte dos polos de imunização em Macaé o Pronto Socorro do Parque Aeroporto e a Unidade Básica de Saúde (UBS) Barramares.

“Com o início do atendimento nas novas unidades da ESF, a vacinação no Colégio Estadual Matias Neto e no drive-thru da Cidade Universitária foi desativada”, explica a prefeitura.

Atualmente contando com 32 polos de vacinação, o município realiza a aplicação da 1ª dose para o público geral a partir dos 12 anos, com o atendimento dependendo do estoque de vacinas entregues pelo Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, distribuídas pelo governo estadual.

Lembrando que, de acordo com decisão da Secretaria Estadual de Saúde do Rio e do Conselho Estadual das Secretarias Municipais de Saúde do Rio (Cosems-RJ), os adolescentes com idade entre 12 e 17 anos só podem receber doses das vacinas da Pfizer.

A prefeitura explica que pessoas com idade a partir dos 18 anos que tomaram a 1ª dose da Pfizer, mas perderam o prazo para receber a 2ª dose, ou está com retorno agendado entre os dias 3 a 6 de novembro, também poderão se vacinar nesta semana.

Já para os idosos e profissionais de saúde vacinados com a 2ª dose até 30 de abril e que estão na lista para receber a 3ª dose, ou dose de reforço, a vacinação também está disponível nesses polos de imunização do município.

“Esta dose é destinada também aos imunossuprimidos (comorbidades descritas no PNI) com 28 dias após a vacinação da 2ª dose. Já quem perdeu a data de retorno para a 2ª dose da AstraZeneca ou CoronaVac deve procurar a Casa da Vacina, das 8h30 às 16h”, concluiu a prefeitura.

Com mais de 127 mil pessoas vacinadas com as duas doses ou com a dose única, que completaram o processo de imunização, Macaé possui uma das menores taxas de letalidade por coronavírus do Estado, segundo dados de um relatório do grupo de trabalho multidisciplinar da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

De acordo com os dados, nesta quinta-feira, Macaé registra um dos mais baixos índices de ocupação de leitos de Centro de Tratamento Intensivo (CTI), com 11%, e leitos de enfermaria reservados para assistência a pacientes infectados, com 4%.

Segundo o relatório, Macaé registra 1,71% de taxa de letalidade por coronavírus, percentual duas vezes menor que a média do Estado, que é de 3,62%, e 3 vezes menor que o registrado pela cidade do Rio de Janeiro, que tem 5,18% de taxa de letalidade.

“Estamos diante de um estágio de controle da pandemia. No entanto, é necessário manter os protocolos sanitários de enfrentamento ao contágio do vírus, como a utilização das máscaras, a higienização das mãos e o distanciamento social”, alerta a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Macaé, Lisa Chagas.

Mais lidas da semana