Mídias Sociais

Destaque

Governo Federal decreta intervenção das Forças Armadas na segurança pública do Estado do Rio

Publicado

em

 

Decreto presidencial deve ser votado na Câmara Federal e no Senado já nesta semana. 

O governo federal anunciou nesta sexta-feira, 16, que vai decretar uma inédita intervenção na segurança pública do Estado do Rio de Janeiro devido à crise de violência pela qual o estado atravessa há alguns anos, e que se agravou nos dias, principalmente depois do Carnaval.

A decisão, tomada pelo presidente Michel Temer (PMDB), e confirmada pelo presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), impede, por lei, a votação da Reforma da Previdência, uma vez que emendas constitucionais são vetadas na vigência de intervenção federal.

Com a medida, as Forças Armadas assumem, ainda por tempo indeterminado, a responsabilidade do comando das polícias Civil e Militar no estado, embora o decreto ainda precise ser apreciado e votado pelo Congresso Nacional.

A decisão de Temer foi tomada durante uma reunião de emergência no Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da república, e teve a anuência do Governador Pezão (PMDB), além de causar o afastamento do Secretário Estadual de Segurança, Roberto Sá.

O interventor indicado pelo governo federal será o General Walter Souza Braga Neto, do Comando Militar do Leste, que foi um dos responsáveis pela segurança pública durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

Segundo reportagem do portal G1, participantes do encontro chegaram a relatar que, inicialmente, Rodrigo Maia foi contrário à intervenção, mas acabou cedendo depois que o próprio governador do estado se mostrou favorável.

A previsão é de que o decreto presidencial seja votado na Câmara Federal já na noite desta segunda-feira, 19, ou na manhã da terça-feira seguinte. De acordo com a legislação, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) tem até 10 dias para convocar a sessão de votação no Congresso.

Região – A escalada de violência não atingiu apenas a capital fluminense, que, nesses últimos dias, foi vítima de arrastões, assaltos em blocos de Carnaval, roubos a pessoas que estavam a caminho da Sapucaí, saque a supermercado, entre outros crimes, violência esta que também se alastrou pelo interior do estado.

Em Macaé, 4 pessoas foram assassinadas em menos de 24 horas, nos bairros Parque Aeroporto e Barramares, por motivos ainda não revelados pela polícia. A cidade ainda teve um colégio estadual invadido, saqueado e incendiado, na Barra de Macaé, aumentando a insegurança da população, que vem crescendo desde os confrontos entre traficantes e as forças policiais, em janeiro deste ano, no Lagomar.

No mesmo dia dos assassinatos em Macaé, na quinta-feira, 15, outras 3 pessoas foram mortas numa residência no bairro Cidade Nova, em Iguaba Grande. No dia anterior, 1 homem havia morrido em confronto com a PM, na cidade.

Tunan Teixeira

Foto: Divulgação


 

Mais lidas do mês