Mídias Sociais

Destaque

Governador do Rio promete pagar salários atrasados antes de 25 de dezembro

Publicado

em

 

Dinheiro para quitar dívida com servidores viria da antecipação da venda da CEDAE. 

O Governador do Estado do Rio de Janeiro, Pezão (PMDB), prometeu pagar os salários atrasados dos servidores estaduais “imediatamente” após a liberação do empréstimo assinado com o banco BNP Paribas, que serve como antecipação da venda da Companhia Estadual de Águas e Esgoto (CEDAE).

O anúncio foi feito depois de uma reunião com o Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, para garantir o aval da União para a formalização do empréstimo, quando o governador, mais uma vez, prometeu quitar as dívidas com os servidores do estado, dizendo ter certeza que os pagamentos serão feitos antes do Natal.

Com o contrato assinado entre o governo do estado e o banco, o repasse inicial da instituição financeira, de 2 bilhões de reais, deve ser feito em até 3 dias úteis, o que, segundo o governador, deve acontecer na próxima semana.

Ainda conforme o governo do estado, o restante do dinheiro proveniente da privatização da CEDAE, no valor de 900 milhões de reais, seriam repassados aos cofres estaduais dentro de mais 60 dias, ou seja, só no início de 2018.

Além dos salários atrasados de outubro deste ano, que só foram pagos a alguns servidores, o governo do estado ainda deve o 13º salário de 2016 a todos os funcionários estaduais, dívidas que serão tratadas como prioridade, de acordo com o próprio governador.

“O importante é que é tudo para o servidor e eu tenho certeza que com esse passo que estamos dando hoje, em 2018 não vamos ter mais esse tipo de problema pelo próprio acordo assinado de recuperação”, afirmou Pezão ao portal G1, revelando que ainda está fazendo os cálculos das demais dívidas que poderão ser pagas de imediato.

O governador se apoiou também nas expectativas geradas pela retomada de investimentos da indústria do petróleo para dizer que acredita em um ano melhor para o estado em 2018, chegando a falar, inclusive, em crescimento econômico.

“Ainda vamos ter um janeiro com muita luta, mas queremos no mês que vem ainda, se Deus quiser, colocar o 13º salário de 2017 em dia. A arrecadação está crescendo. Eu acredito que, com o país entrando nessa rota de crescimento, com o preço do barril do petróleo crescendo, vamos ter um ano de 2018 bem melhor”, avaliou Pezão.

De acordo com o Secretário Estadual de Fazenda do Rio, Gustavo Barbosa, o estado já gerou as folhas de pagamento e “no mesmo dia” em que o dinheiro for liberado, os servidores receberão os salários atrasados.

Segundo ele, o pagamento do empréstimo e dos juros será feito em 36 meses, com a possibilidade de liquidação antecipada graças à privatização da CEDAE, que foi uma exigência do governo federal para a assinatura do Plano de Recuperação Fiscal (PRF) assinado entre o estado e a União.

Com PRF, o Estado do Rio suspendeu o pagamento de sua dívida com a União por até 36 meses e ficou liberado para buscar um empréstimo no mercado financeiro, com a garantia da União para saldar suas dívidas com os servidores.

O acordo assinado entre Pezão e Presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), então presidente em exercício, já que Michel Temer (PMDB) estava fora do país, contempla um ajuste total de 63 bilhões de reais até o final do ano de 2020, entre cortes de gastos, aumento de receitas, empréstimos, e suspensão do pagamento da dívida com a União.

Para isso, porém, o governo do estado terá de seguir uma série de contrapartidas, que incluem ações como autorizar a privatização de empresas estatais de qualquer setor, além da proibição de conceder vantagem, aumento, reajuste ou adequação de salários a servidores, entre outros.

Tunan Teixeira

Foto: Reprodução

Mais lidas da semana