Mídias Sociais

Política

Fórum apresenta sete principais prioridades do Orçamento Participativo de Rio das Ostras

Publicado

em

 

Evento foi realizado na última semana na Câmara Municipal

Rio das Ostras apresentou no Fórum de Prioridades, que aconteceu na última quinta-feira, dia 24, as sete principais demandas apontadas pela população em reuniões setoriais do Orçamento Participativo. O evento foi realizado na Câmara Municipal e o resultado do trabalho foi conduzido pela Comissão Executiva do Conselho de Orçamento Participativo.

As principais necessidades apresentadas pelos moradores foram: Segurança Pública; Saneamento Básico (Esgoto); drenagem de águas pluviais e calçamento de ruas; Saúde; Ampliação e manutenção da rede de água potável; transporte público e Esporte. Esse é o quadro geral de demandas que ajudará a definir as prioridades de investimentos no Município para o ano de 2018.

Durante o Fórum, a vice-presidente do Conselho, Marisa Dias, relembrou como foi o andamento das reuniões setoriais em Rio das Ostras, que tiveram início em abril, e destacou a importância de ouvir e traduzir os anseios da população e como isso será disposto nas peças orçamentárias da administração municipal.

Ela explicou que como principais peças orçamentárias, o Município tem o Plano Plurianual (PPA), documento que traz as diretrizes, objetivos e metas de médio prazo da administração pública, com vigência de quatro anos, e a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que tem com objetivo apontar as prioridades do governo para o próximo ano.

“Podemos dizer que, enquanto o PPA é um documento de estratégia, a LDO delimita o que é e o que não é possível realizar no ano seguinte. O Conselho de Orçamento Participativo é um elo entre população e poder público. Mas não basta só apontar as necessidades. É preciso vontade política e transparência para buscar o melhor para a sociedade”, ressaltou Marisa.

O vice-prefeito Zezinho Salvador esteve presente ao evento parabenizando a todos pela seriedade com que o trabalho foi conduzido e, que hoje torna o Orçamento Participativo referência para outros municípios.

Para ele, a participação popular é muito importante para definir os rumos da cidade. “Ninguém deve se ausentar desse movimento. Temos aqui muitos moradores da Enseada, uma localidade que sempre enfrentou problemas, e agora está forte nas manifestações. Outras associações tem que fazer o mesmo, estão certos em cobrar”, disse Zezinho, que se colocou à disposição para atender moradores.

O material apresentado foi entregue em mãos aos representantes do Poder Executivo e Legislativo, subsecretário de Obras, Ricardo Carvalho e Carlos Afonso, presidente da Câmara Municipal.

Foto: Ákilla Ribeiro

Mais lidas da semana