Mídias Sociais

Política

Dr. Aluizio comentou sobre andamento das questões do aeroporto e do porto em Macaé

Publicado

em

 

Prefeito acredita que, mesmo com avanço nessas questões, melhor notícia para a região seria reativação das operações do pós-sal na Bacia de Campos

 

Foto: Reprodução

Tunan Teixeira

 

Durante entrevista coletiva para a imprensa na manhã desta quarta-feira, 28, para falar das expectativas da indústria do petróleo depois da Brasil Offshore, o Prefeito de Macaé, Dr. Aluizio, comentou a situação do aeroporto e do porto de Macaé, consideradas pela indústria como duas das principais saídas para a crise na cidade.

O prefeito comemorou a notícia de investimentos do governo federal na casa de 60 milhões de reais, devido um plano de infraestrutura nacional, que abrange, entre outros, o aeroporto da cidade, que precisa de obras para voltar a operar com voos comerciais.

“O problema do aeroporto é que ele foi construído em um terreno alagadiço e é preciso fazer um projeto para reformar a pista para que ela possa suportar o peso das aeronaves utilizadas hoje no mercado da aviação. É claro que isso é importante e a notícia da liberação desses investimentos (de governo federal) são muito boas para Macaé, mas assim como o porto, que também está avançando, por se tratarem de grandes obras, demandam muito tempo. Ninguém faz obras desses tamanhos de uma hora para a outra. A melhor forma da cidade, da cidade, da região, do estado e do país reaquecerem a economia é a Petrobras abrindo a possibilidade para que as prestadoras de serviço da cadeira do petróleo possam fazer esses investimentos no pós-sal da Bacia de Campos. Essa é a boa nova”, anunciou Dr. Aluizio.

O chefe do Executivo macaense comentou também sobre os planos para que a cidade abrigue novas termoelétricas, unidades de processamento de petróleo e gás, e refinarias, mas lembrou que estes investimentos também apresentam resultados de médio a longo prazo, e reiterou que a cidade, a região, o estado e o país precisam de investimentos imediatos para voltar a gerar emprego e renda a curto prazo.

“É a melhor boa nova que o governo federal pode dar para o país é a reativação das operações na Bacia de Campos, com esses novos investimentos. Para a Petrobras, não vai custar nada. Ela só vai abrir a possibilidade para que as empresas façam esses investimentos. Se der resultado, ela ganha, todo mundo ganha. E sem custo. E nós temos exemplos no Equador e na Colômbia de que esses investimentos nos campos maduros estão tendo muito sucesso. É assim que nós vamos começar a sair da crise. O aeroporto e o porto virão depois, para consolidar esse movimento”, concluiu o prefeito.

Mais lidas da semana