Mídias Sociais

Política

Depois de reunião em Campos, encontro para discutir duplicação da BR-101 acontecerá em Macaé em janeiro de 2020

Avatar

Publicado

em

 

As obras na BR-101 foram tema de uma reunião realizada esta semana, em Campos dos Goytacazes, que contou com a presença de autoridades do município e representantes de diversas entidades interessadas no assunto.

Entre os presentes, estavam representantes da Arteris, concessionária responsável pela rodovia, da Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), da Prefeitura de Campos e da Câmara Municipal campista, além da Associação Norte Fluminense de Engenheiros e Arquitetos (ANFEA), e da Polícia Federal.

As entidades fazem parte do Grupo de Trabalho que analisou o projeto do contorno da BR-101 na altura de Campos e apresentou sugestões de melhorias ao projeto à concessionária responsável pelas obras.

Segundo a Firjan, entre as sugestões, está a criação de alças de ligação com a RJ-158 e a BR-356, para facilitar o acesso a essas rodovias, e a criação de sistemas para reduzir os riscos nos cruzamentos com as estradas municipais.

“Outro ponto abordado foi uma pequena alteração no traçado, próximo à chegada ao perímetro urbano de Campos, para melhor ocupação do terreno, que já faz parte de uma faixa de servidão, onde existem linhas de transmissão de energia”, acrescentou a Firjan.

Presidente da Firjan no Norte Fluminense, Fernando Aguiar, que esteve presente à reunião em Campos, comentou sobre a importância do contorno para dar maior fluidez ao trânsito da área urbana do município.

“A obra do contorno é essencial para Campos, pois é preciso retirar o tráfego pesado da área urbana o mais breve possível”, afirmou Fernando Aguiar.

De acordo com a Arteris, a previsão é que as obras do contorno comecem em 2 anos e levem 3 anos para ficarem prontas. Já sobre as obras de duplicação da BR-101, entre os Km 144 e 177, a expectativa é de que obras sejam iniciadas imediatamente.

Superintendente da Arteris, Helvécio Tam confirmou que a liberação para o início das obras de duplicação no trecho, que passa pela Reserva Biológica União (Rebio), e estão paralisadas devido a problemas de licenciamento ambiental, deve sair em outubro.

“A obra nos outros 13 Km, que não estão duplicados, precisa de liberação dos órgãos ambientais. Nesta área, está localizada a Reserva Biológica União. Existem divergências quanto às condicionantes propostas pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação de Biodiversidade) para a execução da duplicação e estamos discutindo o assunto”, afirmou o superintendente.

No encontro, representantes das entidades também solicitaram a Arteris atenção e melhorias nos trechos urbanos da rodovia em Guarus, em Campos, onde há alto índice de acidentes, e também no acesso ao Distrito Industrial, que atualmente dificultam o tráfego de grandes veículos que levam e trazem mercadorias e matéria prima para as indústrias instaladas ali.

Ainda segundo a Firjan, esta foi a primeira vez que a Arteris realizou uma reunião do seu Grupo de Trabalho no interior do Estado, e uma segunda acontecerá em janeiro de 2020, em Macaé, outro importante município da região.

Mais lidas da semana