Mídias Sociais

Política

Declaração de secretário pode azedar relação entre novo Governo do Rio e nova Alerj

Avatar

Publicado

em

 

Novo Secretário Estadual de Polícia Civil do Rio, Marcus Vinicius Braga teria avisado que na “agora” deputados e prefeitos podem ser presos pela Civil, o que teria soado mal entre deputados, inclusive entre aqueles que ainda vão assumir

Uma declaração do recém-empossado Secretário Estadual de Polícia Civil do Rio, Marcus Vinicius Braga, publicada pelo jornal O Dia, do Rio, vem causando rebuliço nos corredores da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj).

Empolgado, o secretário teria dito ao jornal que “agora você vai muito deputado e prefeito sendo preso no carro da Polícia Civil”, o que teria deixado os parlamentares, inclusive quem ainda nem assumiu, irritado com o novo secretário.

Depois da publicação da entrevista, Marcus Vinicius Braga chegou a telefonar para o presidente interino da Alerj e um dos principais concorrentes à eleição da presidência desse ano, André Ceciliano (PT), dizendo que havia sido mal interpretado pelo jornalista, mas parece que não adiantou.

Segundo o jornalista Elizeu Pires, boa parte dos parlamentares e até alguns eleitos em 2018 e que ainda não tomaram posse, já defendem a convocação do secretário para que ele preste esclarecimentos sobre as declarações e revele os nomes dos deputados e prefeitos que seriam presos.

A declaração do secretário teria ido até mesmo contra as intenções do Governador Wilson Witzel (PSC), que vem tentando manter uma boa relação com a Alerj, mesmo com o petista que preside o Legislativo estadual.

Em nota, Marcus Vinicius Braga diz que sua declaração não tinha a intenção de constranger ou desrespeitar qualquer autoridade, explicando que a fala reproduzida na matéria foi dita para exaltar outro trabalho desenvolvido pela Civil.

“Com referência à entrevista por mim concedida, publicada no jornal O Dia, deste domingo, 13, esclareço, na qualidade de Secretário do Estado de Polícia Civil, que em nenhum momento tive a intenção de constranger ou desrespeitar qualquer autoridade dos poderes Executivo e Legislativo. As declarações reproduzidas na matéria foram dadas em contexto de exaltar os trabalhos desenvolvidos por nova coordenadoria, criada por mim para atuar em parceria com o Ministério Público do [Estado do] Rio (MP-RJ) e elevando ainda mais a qualidade de nossas investigações. A missão da Secretaria de Polícia Civil é de muito trabalho, conduzido com transparência e respeito às instituições e aos homens e mulheres honrados que a compõem, com os quais pretendo caminhar junto nesse novo ciclo que se inicia”, explica o secretário.

Mais lidas da semana