Mídias Sociais

Política

Decisão das 4 cidades brasileiras na disputa pela Rede de Cidades Criativas da Unesco deixa Rio das Ostras de fora

Avatar

Publicado

em

 

Acabou, pelo menos por enquanto, o sonho de Rio das Ostras de tentar fazer parte da Rede de Cidades Criativas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), da ONU, que já escolheu as 4 cidades brasileiras que seguem na disputa.

A decisão foi comentada pelo Ministério do Turismo, que revelou que duas cidades de Minas Gerais, uma do Ceará e uma de Sergipe continuam tentando fazer parte da rede, que fomenta ideias e práticas inovadoras em prol do desenvolvimento sustentável em diversas áreas culturais.

As 4 cidades brasileiras candidatas a títulos para este ano são Belo Horizonte e Cataguases, em Minas, Fortaleza, no Ceará, e Ararcaju, em Sergipe. A capital mineira concorre na categoria Gastronomia, Cataguases em Cinema, Fortaleza em Design, e Aracaju na música, mesmo segmento onde Rio das Ostras disputava uma vaga.

“Por meio de políticas públicas, boas práticas e projetos de base que promovam a participação de todos, incluindo mulheres, jovens e grupos vulneráveis, a rede coopera de forma decisiva para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas (ONU)”, avaliou o ministério.

Atualmente, a rede, criada em 2004, conta com 180 cidades em 72 países, sendo 8 delas no Brasil, Belém, no Pará; Florianópolis, em Santa Catarina; e Paraty, no Rio de Janeiro; no campo da Gastronomia; Brasília, no Distrito Federal; e Curitiba, no Paraná; na área do Design; João Pessoa, na Paraíba, em Artesanato e Artes folclóricas; Salvador, na Bahia, em Música; e Santos, em São Paulo, no segmento Cinema.

Para a coordenadora de Meio Ambiente, Cultura e Economia Criativa do Ministério do Turismo, Nicole Facuri, o aproveitamento dos setores da economia criativa como ativos para agregar valor e desenvolver novos produtos e destinos turísticos são de grande importância para a diversificação da oferta turística nacional, já que o país teria a criatividade como diferencial.

“O turismo criativo ou turismo de experiência representa uma tendência de consumo em todo o mundo. O Ministério do Turismo tem apoiado ações que promovam e incentivem o consumo de produtos turísticos estruturados a partir do capital cultural, intelectual e na criatividade, como audiovisual, design, gastronomia, conteúdos literários, artes visuais, entre outros”, analisou Nicole.

O Ministério do Turismo explica que, para integrar a Rede de Cidades Criativas da Unesco, a cidade precisa preparar um plano de desenvolvimento no campo criativo em que a região se candidatou, e passar por um processo de seleção eito por 2 comitês, um técnico, com representação em cada categoria, designado pela Unesco, e outro de representantes das cidades já integrantes da Rede, em cada categoria.

“Ao conquistar o título, a cidade tem a oportunidade de integrar uma rede internacional de cooperação que envolve outros setores criativos, além de participar de projetos estratégicos em âmbito internacional e fomentar a indústria criativa local de forma sustentável e inclusiva”, conclui a pasta, completando que o resultado sai até o fim de outubro.

Mais lidas da semana