Mídias Sociais

Política

Debate sobre o setor reuniu representantes do Ministério do Turismo, do Sebrae e do Congresso

Avatar

Publicado

em

 

Em audiência pública na Câmara Federal na última semana, o presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Carlos Melles, defendeu  maior incentivo para o turismo brasileiro por parte do governo.

De acordo com Carlos Melles, essas medidas deveriam acontecer para fortalecer o setor e gerar mais empregos e renda. A reunião discutiu a alocação de recursos para o turismo, e contou com a presença de ministros e representantes do setor de negócios.

A sessão, que faz parte da elaboração do Orçamento Geral da União para 2020, foi presidida pela senadora Kátia Abreu (PDT-GO), que destacou que as cadeias produtivas do agronegócio e do turismo podem impulsionar o desenvolvimento do Brasil.

Além do presidente do Sebrae e da senadora da bancada ruralista do Congresso, participaram do evento o ministro interino do Turismo, Daniel Nepomuceno, e o gerente do Sebrae, Vinícius Lages.

Carlos Melles explicou que quando o Ministério do Turismo foi criado, em 1999, o orçamento era tímido, mas foi crescendo com o decorrer dos anos e com a importância que adquiriu no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Ainda para o presidente do Sebrae, que já chegou a ocupar a pasta quando ela ainda era integrada aos Esportes, não se pode esvaziar o setor do Turismo, já que o Brasil tem uma grande capacidade de desenvolvimento econômica do setor.

“A agricultura é a base e o turismo é o que gera o emprego. Nós temos o maior potencial do mundo”, observou Carlos Melles.

O presidente do Sebrae lembrou também que o órgão possui uma parceria com o ministério e o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), citando o Programa Investe Turismo, que promove em 158 municípios brasileiros um amplo pacote de investimentos, incentivos a novos negócios, acesso ao crédito, melhoria de serviços, inovação e marketing, voltados para o setor do Turismo.

Segundo a senadora Kátia Abreu, tanto o turismo quanto o agronegócio são fundamentais para a economia do país, pela força que possuem, destacando que o turismo ainda reúne a maior parte das micro e pequenas que atuam por meio do Sebrae.

“É um potencial extraordinário de empregos e as duas áreas serão a salvação do Brasil”, acrescentou a senadora.

Kátia Abreu ressaltou que apresentou o Plano Anual do Turismo 2020, onde estão elencadas todas as propostas que serão apresentadas no Orçamento Geral da União, dentre as quais estariam a participação do Sebrae e de outras instituições do Sistema S.

Ministro interino do Turismo, Daniel Nepomuceno fez um balanço das atividades da pasta e da Embratur, ressaltando o Programa Investe Turismo, desenvolvido em parceria com o Sebrae, e que contemplará 11 municípios no Estado do Rio, sendo 4 da região.

“O projeto atravessa transversalmente todos os ministérios. Vamos conversar com os estados e municípios, que perceberão os reflexos diretos do Investe Turismo”, explicou Nepomuceno.

Segundo Vinicius Lages, é necessário procurar fontes alternativas para investir no setor, além dos recursos orçamentários, ressaltando a importância do Sistema S, que segundo ele, poderão participar da capacitação dos pequenos empreendedores, que somam 50 segmentos ligados ao turismo.

Das 30 rotas estabelecidas no Programa Investe Turismo, que contemplarão 158 municípios em todas as regiões do país, duas rotas serão no Estado do Rio, abrangendo 11 municípios fluminenses, entre eles o Rio de Janeiro e as cidades serranas de Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, na Rota Rio de Janeiro Imperial, e Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio e Rio das Ostras, além de Saquarema, Angra dos Reis e Ilha Grande, e Paraty, na Rota Costa do Sol – Região dos Lagos.

Mais lidas da semana