Mídias Sociais

Cidades

Com 22 candidaturas a prefeito sub judice, cidades da Região dos Lagos e do Norte Fluminense podem ter eleições decididas no chamado “tapetão”

Avatar

Publicado

em

 

No próximo domingo, dia 2 de outubro, os 5.568 municípios do Brasil conhecerão o resultados das eleições municipais, que elegerão prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em todas as regiões do país. Bem, pelo menos, é isso que deveria acontecer.

Mas em algumas cidades da Região dos Lagos e do Norte Fluminense, por exemplo, pode ser que a população tenha que esperar um pouco mais para saber quem serão seus representantes executivos e legislativos pelos próximos 4 anos.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os candidatos só poderão ser diplomados, ou seja, ter a “vitória” reconhecida, caso seus registros de candidatura estejam regularizados na Justiça Eleitoral.

O problema é que em 10 cidades da região, como em Araruama, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Macaé, Quissamã, Rio das Ostras e São Pedro da Aldeia, muitos candidatos ainda travam batalhas judiciais para conseguir ter o registro aprovado.

Em Casimiro, por exemplo, os principais candidatos a prefeito apontados pelas pesquisas, o ex-prefeito Paulo Dames (PSB), o candidato do atual governo, Fabinho Kiffer (PSC), e o empresário Wagner Heringer (PR), estão com suas candidaturas sub judice, ou seja, com algum tipo de problema na Justiça Eleitoral.

Caso eles e os outros 19 candidatos a prefeito nestas condições na região não consigam reverter a situação, seus votos não serão computados, sendo considerados inválidos, e mesmo que, numericamente, tenham vencido as eleições, não serão eleitos.

Exceto por Macaé, onde o único candidato sub judice, petroleiro Pedro Vilas-Bôas (PSTU), nem aparece nas pesquisas de intenção de votos registradas no TSE, o restante dos municípios da região podem ouvir se repetir nestas eleições, uma expressão muito comum no futebol, que é o “tapetão”, usada para se referir a uma vitória fora do campo de jogo, ou seja, fora das urnas, e sim nos tribunais.

De acordo com o jornalista Elizeu Pires, nos bastidores da política de Casimiro de Abreu, o atual prefeito, Antônio Marcos (PSC), “já teria reconhecido entre os seus aliados que o ex-prefeito Paulo Dames deverá ter mais votos que o seu afilhado político, Kiffer, admitindo a fragilidade do seu escolhido diante do ex-prefeito”.

Ainda conforme ele escreve em seu site, para manter seu grupo político no poder, o Prefeito de Casimiro estaria apostando suas fichas na disputa jurídica, que pode julgar as duas candidaturas passadas eleições deste fim de semana.

“É deste entendimento que o prefeito Antonio Marcos tem se aproveitado para dizer nas ruas que o eleitor estaria jogando voto fora se optar pelos que disputam com recurso”, analisa o jornalista, em seu site.

Tunan Teixeira

Mais lidas da semana