Mídias Sociais

Política

Com 11 votos favoráveis e apenas 1 contrário, Câmara de Macaé aprova criação do Conselho Municipal de Comunicação

Avatar

Publicado

em

 

No fim da manhã desta quarta-feira, 30 de outubro, a Câmara Municipal de Macaé aprovou o Projeto de Lei 092, de 2018, de autoria do vereador Marcel Silvano (PT), para a criação do Conselho Municipal de Comunicação.

Depois de quase muita polêmica e muita articulação entre representantes políticos e da imprensa, os vereadores concordaram, por 11 votos a 1, sobre a importância da criação do Conselho, que segundo o autor da proposta, servirá para fiscalizar a atividade dos meios de comunicação na cidade, além de ser uma ferramenta contra a propagação de fake news nas redes sociais.

“Esse projeto foi um projeto que o vereador trouxe à Casa já há algum tempo. Esse projeto tinha até um movimento para que votassem contra o projeto. Vereador fez uma audiência pública e parte dos comunicadores se posicionaram contra o projeto, e eu confesso que eu não entendi porque nesse país existe conselho para tudo. E por que não criar o conselho da comunicação? Confesso que eu não entendi naquele momento e orientação até de parte de dentro do governo para que esse projeto não passasse. A gente discutiu isso aqui, que ficou muito dividido e muito bem solicitado pelo vereador Marcel quando solicitou aquela audiência pública quando nós discutimos sobre a importância do conselho. Então por esse motivo voto a favor do projeto”, comentou o vereador Julinho do Aeroporto (MDB).

Autor do projeto, o vereador do PT lembrou todos os debates promovidos na Câmara sobre o teor da matéria, que chegou a ser reapresentada, e reforçou que a comunicação é um aspecto importante da sociedade, ressaltando a participação das novas tecnologias, como as redes sociais e a internet, que a comunicação não deve ser propriedades de alguém e sim, um direito de todos.

“Eu gostaria de um modelo democrático de ampla participação em que a sociedade possa emitir as suas opiniões em canais oficiais, em espaços oficiais. Um conselho de comunicação é um desses espaços, em que a sociedade, nas suas mais diversas representações, pode discutir o que tem sido repassado à sociedade como forme de informação”, avaliou Marcel Silvano.

O parlamentar petista destacou ainda a quantidade de colegas de plenária que utilizaram a palavra durante sessões da Câmara condenando ataques, agressões e notícias falsas, reforçando que o conselho deve servir como mais um instrumento para coibir essas manifestações como as das fake news.

“Os conselhos de comunicação são caminhos para que possa haver uma integração em busca de uma comunicação saudável que chegue à sociedade”, acrescentou Marcel.

Para o Dr. Marcio Barcelos (MDB), que também votou favorável ao projeto, o conselho será importante para impedir casos em que informações falsas prejudicam as pessoas, principalmente entes públicos, mas recordou que as fake news não são novidade.

“É preciso regularizar a comunicação, acabar com as fake news, mas isso não é novo. A gente precisa parar, pensar e regulamentar. Com muita consciência, eu voto a favor do projeto do colega Marcel. Acho que é uma atitude de vanguarda. A gente precisa, e se conseguir, nós estaremos na frente, porque não pode ficar acontecendo essas coisas”, pontuou Dr. Marcio Barcelos.

Segundo a matéria, farão parte do CMC terá representantes das universidades, dos movimentos sociais, dos empresários e dos trabalhadores da comunicação, além do Legislativo e do Executivo, como acontece em outros conselhos das mais diversas áreas da sociedade.

Mais lidas da semana