Mídias Sociais

Política

Câmara Federal aprova abertura de crédito de mais de 1 bilhão de reais para a segurança do Rio

Publicado

em

 

Deputados federais aprovam medidas provisórias que liberam recursos e criam cargos na intervenção federal da segurança pública do Estado do Rio

A Câmara Federal aprovou na noite da última terça-feira, 10, uma medida provisória que abre crédito extraordinário de 1,2 bilhões de reais para financiar ações de segurança pública no Estado do Rio de Janeiro, que segue sob intervenção federal desde fevereiro.

A matéria, que agora será analisada pelo Senado, prevê a liberação de recursos para a aquisição de veículos, armamento, munição e equipamento individual, além da contratação de serviços e o pagamento de pessoal, de acordo com a Agência Câmara Notícias.

Do valor total do crédito extraordinário para a segurança pública do Rio, 1 bilhão de reais será remanejado de outros órgãos do Executivo, e 200 milhões de reais sairão de cancelamentos feitos pela própria Câmara.

Também na terça, os deputados aprovaram outra medida provisória que cria o cargo de interventor federal no Rio de Janeiro na estrutura do Poder Executivo, além de outros 66 cargos para a área de segurança pública, matéria que também segue para o Senado.

Ainda segundo a Agência Câmara Notícias, a estimativa de impacto orçamentário-financeiro é de 7 milhões de reais para 2018, e de 3,8 milhões de reais para 2019.

Conforme a Empresa Brasil de Comunicações (EBC) informou nesta quarta-feira, 11, a expectativa do governo federal, divulgada através do ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), é de que o Congresso aprove a medida ainda neste primeiro semestre.

Marun teria comentado ainda a respeito de outras prioridades do governo juntos aos parlamentares, reconhecendo que a aprovação de muitas votações do Senado e da Câmara Federal ficaram prejudicadas devido ao calendário eleitoral. Vale lembrar que as eleições para presidente, governadores, deputados federais e estaduais e senadores, acontece em outubro deste ano.


 

Mais lidas do mês