Mídias Sociais

Política

Câmara de Macaé rejeita requerimento de vereador da oposição para convocação de Dr. Aluizio

Avatar

Publicado

em

 

A Câmara Municipal de Macaé rejeitou na tarde desta terça-feira, 11, um requerimento de autoria do vereador Marcel Silvano (PT), pedindo a convocação do Prefeito Dr. Aluizio (sem partido), para explicar o processo de municipalização dos serviços de abastecimento de água no município, dentre outros assuntos.

Os serviços estão sendo judicializados graças à ação da prefeitura para suspender o contrato de concessão com a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE), sob a justificativa de que mesmo com a grande arrecadação da companhia no município, poucos investimentos vêm sendo realizado para a melhoria de um serviço considerado precário pela população.

Aprovado pela Câmara, o processo de encampação ainda gera dúvidas no Legislativo, principalmente na oposição, que tentou trazer a questão à pauta mais uma vez durante debate do requerimento do vereador petista.

Marcel lembrou ainda da manobra do governo de exonerar apenas para a votação do projeto, o então secretário de Educação e vereador licenciado, Guto Garcia (MDB), para que o suplente, Luciano Diniz (MDB), que tem fortes ligações com a CEDAE, ficasse de fora dos debates e da votação.

Além disso, o parlamentar falou de uma discussão que promoveu com o prefeito através de suas contas no Twitter, mas apesar das críticas do vereador, que esteve ao lado de Dr. Aluizio durante a campanha eleitoral para a prefeitura em 2012, as argumentações não convenceram a maioria dos colegas de plenária.

“Eu também concordo, vereador Marcel, quando envolve família na política. Mas o senhor também poderia pegar o Twitter e respondê-lo da mesma forma. Quanto à convocação, eu voto contra e vou manter minha coerência, que sempre votei contra qualquer convocação de secretário. E acho que não há necessidade do prefeito vir aqui para explicar tudo que nós já falamos aqui. Acho que não vejo essa necessidade”, falou Paulo Antunes (MDB).

“Eu me surpreendi agora com a forma educada que o Maxwell [Vaz, SOLIDARIEDADE] colocou sobre a necessidade de usar esse espaço político para se discutir as coisas importantes da cidade. Lamento se ocorreu esse diálogo no Twitter. Eu não sou favorável a isso. Recentemente, aconteceu com Julinho. Eu repudiei aquela situação que foi veiculada. Eu repudio veementemente. Gostaria de falar com o vereador Marcel, que eu muito respeito e admiro. Você é um jovem brilhante. Deveria vir candidato a prefeito pelo PT. O espaço é seu. Tomara que não venha ninguém de [Washington] Quaquá [ex-prefeito de Maricá] para ser candidato. Mas assim, eu estava lá vendo aquele debate da CEDAE e me surpreendi; eu não conhecia sua atividade parlamentar; o senhor falando que o prefeito era um menininho mimado querendo brincar com água. Talvez seja esse o caminho, a gente se respeitar mais. Você imagina se eu o intitulasse garoto propaganda de Márcia Tiburi [candidata a governadora do Rio pelo PT em 2018]. Eu ficaria 1 dia sem dormir, porque o senhor não tem nada a ver com ela, que foi no programa Jô Soares [da TV Globo] discutir a importância do ânus numa campanha política. Imagina o senhor se eu adjetivo de garoto propaganda de Vânia Ribeiro? Aí sim, aí o senhor podia me internar, porque é uma pessoa que eu mais admiro nessa vida. Eu acho, sabe Marcel, que existem outros caminhos. Eu vou votar contra”, falou Dr. Márcio Barcelos (MDB).

“Em questão da encampação da CEDAE, uma coisa eu sei. Lá em casa, na Rua Equador, no Campo D’Oeste, nunca caiu água na rede da CEDAE. E eu sempre cobrei isso do nobre vereador Luciano Diniz. Pedia direto. ‘Luciano, tem que dar pressão na rede; alguma rede está estourada’. E eu ia e alugava Fernando Arruda [diretor da CEDAE]. ‘Manda um caminhão de água para mim. Eu pago a água em dia. E é caro. Sem cair’. Eu sei que depois que começou essa discussão aqui nessa Casa, eu dou graças a Deus por essa discussão, que o prefeito começou a imprensar a CEDAE. A água começou a cair. Eu não sei se vai encampar, e não vai encampar, tarifa zero ou não, eu sei que agora está caindo água. Parece um milagre. Eu creio em milagre”, avaliou Val Barbeiro (PHS), que depois de elogiar a atuação do governo, declarou votar contrário.

“Esse projeto do vereador Marcel, quando o vereador deu entrada aqui, eu já disse até de pronto que eu votaria contrário, até porque, na verdade, o embate que foi nas redes sociais é uma questão muito individualizada, mas eu vejo aqui algumas questões. Inclusive, até o vereador Cesinha (PROS) fez um requerimento verbal e eu acho que essa Casa aprovou o requerimento verbal. Cabe agora o presidente da Casa fazer o convite para que o responsável da questão da água pudesse vir aqui até para esclarecer aos demais vereadores algumas dúvidas, muitas dúvidas que nós temos. Por exemplo, quando o cidadão pergunta: pago água ou não pago água? A quem que eu vou recorrer no momento de uma ligação no início de uma obra? Parece que eles vão na CEDAE, a CEDAE manda ir na prefeitura, e fica sem resposta. Então, eu penso que o presidente pode então oficializar esse convite para que o responsável possa vir aqui, que vai falar sobre a questão da água”, defendeu Julinho do Aeroporto (MDB).

“Com relação ao requerimento, acho que naquela semana a gente se encontrou, eu fui solidário ao senhor, e se tivesse encontrado com o prefeito, eu teria falado a mesma coisa. Acho que a gente não merece, de ambas as partes, esse tipo de tratamento. A gente pode discordar no campo das ideias de muitas coisas, mas não precisa chegar desse nível de agressão. Bem fora do tom. Vossa Excelência respondeu também da mesma forma que foi agredido e por aí foi”, comentou Luciano Diniz, que também votou contrário, discordando da necessidade de convocação do prefeito.

Apesar dos votos dos vereadores Maxwell Vaz, Marvel (REDE) e Zé Prestes (PPS), a maioria da Câmara rejeitou o requerimento do vereador do PT e logo em seguida, por falta de quórum, a sessão foi encerrada.

Mais lidas da semana