Mídias Sociais

Política

Câmara de Macaé cobra da prefeitura de informações sobre funcionamento do Restaurante Popular da Aroeira

Publicado

em

 

A Câmara Municipal de Macaé aprovou, nesta quarta-feira, 29, um requerimento de autoria da vereadora Iza Vicente (REDE) cobrando da prefeitura informações sobre o funcionamento de restaurantes populares na cidade.

Fechado em setembro de 2020, em razão da pandemia do coronavírus, o Restaurante Popular da Aroeira foi tema de um anúncio feito pelo prefeito Welberth Rezende (CIDADANIA), em março desse ano, sobre uma série de medidas tanto para a reabertura da unidade quanto para a ampliação do serviço.

Entre as medidas, estavam uma nova licitação para fornecimento da alimentação, a criação de novos restaurantes populares, no Lagomar, na Ajuda, e na Cidade Universitária, e a redução do custo da alimentação, que deixaria de custar 1 real e passaria a ser gratuita, mas, segundo a vereadora, pouca coisa avançou desde então.

“A lei que reativa o Restaurante [Popular, da Aroeira] é de março e já estamos em outubro. A insegurança alimentar em grande parte da população é enorme”, alertou Iza Vicente no dia anterior (28), durante audiência com representantes do governo.

A convite de Reginaldo do Hospital (PODE), autor de outro requerimento sobre a mesma pauta, o novo secretário de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Acessibilidade, Fabrício Afonso Maia, esteve na Câmara nesta terça-feira, 28, juntamente com a assessora Janine dos Santos, que contou que a reativação da unidade já está em andamento.

No texto do requerimento aprovado pela Casa, a vereadora da REDE reforça a necessidade desse serviço, principalmente em razão dos impactos sociais e econômicos causados pela pandemia do coronavírus, solicitando ainda o fornecimento de alimentos para a população através do Centro POP.

“Considerando a previsão legal, bem como a evidente demanda por esse serviço na cidade, a qual se intensifica no contexto de calamidade social e financeira agravada pela pandemia de Covid-19 (sigla, em inglês, para Coronavirus Disease 2019), este gabinete solicita informações acerca da estrutura de funcionamento do restaurante popular de Macaé. No mesmo sentido, requer informações sobre a viabilização do fornecimento de alimentos no Centro POP, serviço especializado para pessoas em situação de rua, que é um público extenso e socialmente vulnerável em nosso município”, argumenta Iza Vicente na matéria.

Os restaurantes populares também foram tema do vereador Rond Macaé (PATRIOTA), que justificou sua ausência na sessão desta terça-feira explicando que esteve cumprindo agenda no Rio de Janeiro para tratar do Restaurante do Povo, programa do governo estadual do Rio.

“Ontem (28) eu estive no Rio de Janeiro. Eu tinha uma agenda marcada com o secretário [estadual] de Desenvolvimento Social [Matheus Quintal]; o nosso mandato tem sido cobrado nas ruas, então a gente foi buscar com o Estado uma demanda que é sobre o Restaurante do Povo, que é um projeto do Estado que está agraciando alguns municípios. Nosso mandato sempre se prontificou em trazer para Macaé também mais um restaurante [popular] em [uma] parceria do município com o Governo do Estado”, contou o parlamentar.

Em sua fala, durante a Explicação Pessoal, que acontece sempre ao fim das sessões, Rond Macaé acrescentou que o próprio Matheus Quintal entrou em contato com o secretário de Obras de Macaé, André Braga, se disponibilizando a vir ao município para avaliar, juntamente com a prefeitura, um local para poder iniciar as obras da unidade na cidade.

Com menos de uma hora de duração, a sessão ordinária desta quarta-feira foi presidida pelo vereador Professor Michel (PATRIOTA), 1º secretário da Casa, devido à ausência do presidente da Câmara, vereador Cesinha (PROS), que ficará ausente da função até o próximo dia 8 de outubro para resolver problemas pessoais.

Mais lidas da semana