Mídias Sociais

Economia

Petrobras anuncia prejuízo em 2017 perto da marca de meio bilhão de reais

Publicado

em

Apesar do resultado extremamente negativo, empresa informou nesta semana que este foi o menor prejuízo nos últimos 4 anos, e que a produção continua batendo recordes nacionais

A Petrobras anunciou nesta semana que em 2017, apesar do aumento da produção, fechou o ano novamente com prejuízo, dessa vez na casa dos 446 milhões de reais. Apesar do resultado negativo, a empresa fez questão de ressaltar que esse foi o menor prejuízo dos últimos 4 anos.

Segundo a Petrobras, o prejuízo ocorreu devido a despesas extraordinárias, entre as quais a empresa destaca o acordo de 11,198 bilhões de reais para encerramento da ação coletiva de investidores nos Estados Unidos, além da adesão a programas de regularização de débitos federais, que somaram 10,433 bilhões de reais.

A estatal informou ainda que, em 2017, a sua dívida líquida chegou a 84,871 bilhões de dólares, menor valor desde 2012, e que, apesar do prejuízo no ano passado, foi possível aumentar o prazo médio de vencimento de 7,46 para 8,61 anos, além reduzir a taxa média de juros de 6,2% para 5,9%.

A Petrobras revelou também que conseguiu reduzir a despesa anual de juros da companhia, que caiu de 25,6 bilhões de reais em 2016 para 22,3 bilhões de reais em 2017, atingindo uma redução de 12,5% em um ano.

Mesmo com o enorme prejuízo beirando a casa de meio bilhão de reais, a companhia bateu pelo 4º ano consecutivo o recorde nacional de produção e alcançou a meta, pelo 3º ano seguido, chegando a um volume de produção total de petróleo e gás natural de 2,767 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe), sendo 2,655 milhões de boe no Brasil, mesmo com a venda de ativos no exterior.

Apesar dos números positivos na produção, a venda de derivados no país caiu 6% em comparação a 2016. Enquanto a produção foi de 1,8 milhões de barris por dia (bpd), as vendas não passaram da casa de 1,94 milhões de bpd, devido ao aumento das importações por terceiros.

 

Mais lidas do mês