Mídias Sociais

Política

Acordo entre União e Governo do Espírito Santo acaba com desavença entre fluminenses e capixabas e leilão dos aeroportos já tem data

Avatar

Publicado

em

 

Mais importante nesse momento de retomada da indústria do petróleo, Aeroporto de Macaé segue em bloco com Aeroporto de Vitória depois de acordo entre o governo federal e o governo do Espírito Santo (ES) e promessa de internacionalização do aeroporto da capital capixaba

Um acordo entre a União e o Estado de do Espírito Santo encerrou a polêmica criada com a ação civil pública contra a concessão em bloco dos aeroportos de Macaé e de Vitória, capital capixaba, que selou a paz entre os interessados.

“Com o entendimento, a expectativa para atração de investidores para o leilão que será realizado no dia 15 de março, em São Paulo, aumenta, além das garantias da segurança jurídica do processo”, acredita a Prefeitura de Macaé.

A homologação do acordo contou com a presença do Secretário Nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, que destacou os ganhos para a Capital Nacional do Petróleo.

“Teremos um processo de concessão bastante robusto. No dia 15 de março, teremos o leilão em São Paulo e temos certeza de que vamos atrair os melhores operadores do mundo para operar o aeroporto de Vitória e o de Macaé. Ganha o Brasil, ganha o Espírito Santo, o Rio de Janeiro e ganha, logicamente, Macaé, que tem um grande potencial de crescimento com a retomada da indústria do petróleo”, analisou Glanzmann.

Para o Prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (sem partido), a concessão do aeroporto, em conjunto com outras medidas, trará novos tempos para o desenvolvimento do município.

“Polo de startups, retomada da indústria de óleo e gás, aeroporto em concessão à iniciativa privada. Novos tempos em que palavras como eficiência e competitividade terão seu verdadeiro significado”, entendeu o prefeito.

Motivo de desavença entre os governos do Rio e do Espírito Santo, a presença do aeroporto de Macaé no mesmo bloco que o aeroporto de Vitória gerava muita desconfiança por parte do governo capixaba, mas o acordo intermediado pelo governo federal facilitou a resolução do impasse.

“Vamos priorizar a internacionalização do Aeroporto de Vitória, um processo que já está em andamento e será concluído, e os investimentos da aviação regional já nesse primeiro momento no aeroporto de Linhares e num segundo momento, no aeroporto de Cachoeiro do Itapemirim. Acho que com isso, o estado fica bem atendido, bem contemplado, a União também bem contemplada, e Macaé, eu acho que ganha nesse processo”, avaliou o Secretário Nacional de Aviação Civil.

O Bloco Sudeste, composto pelos aeroportos de Macaé e Vitória, deve ser um dos mais disputados no leilão, que contará ainda com outros 10 aeroportos divididos em 2 blocos, o Nordeste, com os aeroportos de Recife, Maceió, Aracaju, João Pessoa, Campina Grande e Juazeiro do Norte, e o Centro-Oeste, com o aeroportos de Cuiabá, Sinop, Rondonópolis e Alta Floresta.

A sessão pública do leilão, em 15 de março, será realizada na sede da Bolsa de Valores de São Paulo. O prazo de concessão será de 30 anos.


 

Mais lidas do mês