Mídias Sociais

Destaque

Suspeito de tentar matar investidor a mando de Glaidson Acácio é preso pela Civil

Publicado

em

 

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu, na manhã desta quarta-feira (13), Rafael Marques Gonçalves Gregório em um condomínio na Pavuna, Zona Norte do Rio. Segundo as investigações, ele é um dos executores da tentativa de assassinato de Nilson Alves da Silva, o Nilsinho, em Cabo Frio, a mando de Glaidson Acácio dos Santos, o ‘Faraó dos Bitcoins’.

A motivação para a execução da vítima, segundo a polícia, foi a notícia espalhada por Nilsinho, em janeiro de 2021, de que Glaidson seria preso pela Polícia Federal. Por isso, afirmam os investigadores, a vítima sugeriu que clientes de Glaidson retirassem os valores da GAS Consultoria e transferissem para a sua empresa.

A ação foi comandada por agentes da Subsecretaria de Inteligência da Polícia Civil, com a 126ªDP (Cabo Frio) e a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).

Glaidson está preso desde o ano passado acusado de chefiar um esquema ilegal de investimento em criptomoedas.

De acordo com a investigação, Glaidson determinou que Thiago de Paula Reis contratasse executores do crime. Thiago era um dos homens de confiança de Glaidson e chegou a visitá-lo na cadeia.

De acordo com a polícia, além de Rafael Gregório, também são executores do crime Rodrigo Silva Moreira, Fabio Natan do Nascimento (FB) e Chingler Lopes Lima.

<span;>A polícia afirma que, para dificultar a investigação, os quatro usaram um veículo clonado e contaram com o apoio de um veículo regularizado para fazer os deslocamentos rodoviários.

<span;>Procurado, o advogado Thiago Minagé, que defende Glaidson no processo sobre o esquema de pirâmide, disse que ainda não está à frente do caso relacionado à tentativa de homicídio e por isso não pode se manifestar.

O crime

Nilsinho passava pela Rua Maestro Braz Guimarães, no Braga, em Cabo Frio, com uma BMW X6, avaliada em cerca de R$ 600 mil. Vários tiros foram disparados de um carro com homens encapuzados. Nilsinho sobreviveu, mas ficou tetraplégico e cego.

Morte de investidor em São Pedro

FB e Chingler também são acusados do homicídio de outro investidor em criptomoedas, Wesley Pessano, em São Pedro da Aldeia. As investigações continuam para saber se Glaidson também foi o mandante daquele crime.

Mais lidas da semana