Mídias Sociais

Destaque

Quase 100 mil mulheres foram vítimas de violência doméstica em 2020 no Estado do Rio; 78 foram mortas em feminicídios

Publicado

em

 

Quase 100 mil mulheres foram vítimas de violência doméstica em 2020, no estado do Rio de Janeiro. O relógio da violência não pára! É como se a cada cinco minutos, uma nova vítima de agressões físicas, psicológica ou patrimonial entrasse para as estatísticas. 67% delas com filhos, quase metade menores de idade. São relatos que se repetem...

"Fui ameaçada pelo meu marido o tempo todo. Ele é muito ciumento, agressivo. Eu vivo morrendo de medo", diz uma das vítimas. Casos como este engrossam o Dossiê Mulher que teve sua versão mais recente lançada nesta segunda-feira pelo ISP, Instituto de Segurança Pública do estado.
Presente ao evento, o governador Cláudio Castro destacou a importância da publicação para nortear políticas pública de proteção à mulher, como a criação de núcleos de atendimento e também de acolhimento.

O dossiê reúne os principais crimes que transformam mulheres em vítimas cotidianamente, como lesão corporal, ameaça, atentado violento ao pudor e, em alguns casos, o feminicídio. Em 78 % dos casos de feminicídios registrados em 2020, pelo menos 15 foram na presença dos filhos. Quase 75 % das mulheres foram mortas dentro de casa e, metade delas, tinha entre 30 e 59 anos de idade.

Companheiros e ex-companheiros, que muitas vezes não aceitam o término do relacionamento, representam 78,2 % dos autores desse tipo de crime. Entre as vítimas, a maioria é negra.
Um outro crime que tem as mulheres como alvos constantes é o de estupro. Em 2020, foram 5.645 registrados, uma média de 15 por dia, ou um a cada uma hora e meia.

Entre as vítimas, meninas com até 14 anos de idade. Em média, foram sete garotas nesta faixa etária sofreram abusos sexuais a cada dia no estado, ao longo de 2020. O estudo, no entanto, não traça um paralelo entre os casos de violência e a exposição maior das mulheres, que durante a pandemia de covid ficaram mais tempo em casa, ao alcance dos agressores. Mas admite a possibilidade de subnotificação, durante a crise sanitária.

Perfil dos crimes de feminicídio

  • Das 78 vítimas de feminicídio, 52 eram mães, e 34 tinham filhos menores de idade;
  • Apenas nove delas tinham medidas protetivas contra o companheiro;
  • Os companheiros ou ex-companheiros representam a maioria dos autores dos crimes (78,2%);
  • Quase 75% das mulheres foram mortas dentro de uma residência;
  • Mais da metade das vítimas de feminicídio tinha entre 30 e 59 anos de idade (57,7%) e era negra (55,1%);
  • 40% das mulheres foram mortas por faca, facão ou canivete, e 24,4%, por arma de fogo;
  • A motivação do crime foi uma briga para 27 dos homicidas e o término do relacionamento foi
  • apontado por 20 criminosos.
    Mais da metade das vítimas já tinha sofrido algum tipo de violência e não registrou.

Mais lidas da semana