Mídias Sociais

Polícia

Polícia Civil cumpre mandados em operação contra fraudes em Cabo Frio

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

A Polícia Civil começou esta terça-feira, 08, cumprindo 17 mandados da operação contra fraude em licitações e contratações de serviço de coleta e destinação de lixo em 2016, em Cabo Frio. Entre os mandados está um de busca e apreensão na casa do ex-prefeito, Alair Corrêa.

Há mandados a serem cumpridos em outras cidades além de Cabo Frio, como Búzios, São Pedro da Aldeia e Rio Bonito. Os endereços são de pessoas e empresas suspeitas de participação do esquema.

 

Sobre a investigação - Segundo o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, o consórcio Duna Forte, composto por três empresas, entre elas a Dois Arcos, venceu a licitação em 2016 para coleta e depósito de lixo de Cabo Frio no valor inicial de R$ 48 milhões para 16 anos de prestação de serviço. No entanto, dias depois do consórcio vencer a licitação, o valor foi corrigido, sem qualquer nova publicação do edital, para R$ 48 milhões anuais, totalizando uma despesa de 768 milhões de reais pelo período, de acordo com o MPRJ.

Além do valor errado do certame, existe uma suspeita que, antes mesmo do resultado final, as notas de pagamento ao consórcio já estariam prontas, com base em documentos apreendidos pelo MP. O órgão também suspeita que o consórcio vencedor também foi criado depois da licitação. A licitação de 2016 foi feita durante a administração do então prefeito Alair onde há suspeita de favorecimento a pessoas determinadas.

Diante das suspeitas, a 2ª Vara Cível da Comarca de Cabo Frio concedeu liminar para suspender os efeitos da licitação, determinando a realização de nova licitação e contratação emergencial para prestação do serviço. No entanto, a empresa contratada em 2017, por R$ 9 milhões, para três meses, também passou a ser alvo de investigação, de acordo com o MPRJ.

 

Mais lidas da semana