Mídias Sociais

Destaque

Polícia Civil conclui inquérito do caso de professor humilhado em Rio das Ostras

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Autos foram remetidos ao Ministério Público nesta quinta-feira (27). Seis alunos foram indiciados.

A Polícia Civil concluiu na noite desta quarta-feira (26), o inquérito do caso do professor Thiago dos Santos, humilhado dentro da sala de aula do Ciep Municipalizado Professor Marçal, no bairro Jardim Campomar, em Rio das Ostras.

Segundo o delegado da 128ª Delegacia Policial de Rio das Ostras (128ª DP), Carmelo Santalúcia, seis estudantes foram ouvidos. O estudante de 18 anos irá responder por constrangimento, desacato, dano ao patrimônio público e corrupção de menores, podendo pegar uma pena de nove anos de reclusão. Já os menores irão responder por atos infracionais análogos aos mesmos crimes já citados. O caso foi remetido ao Ministério Público (MP) na manhã desta quinta-feira (27).

Relembre o caso

No dia 18 de setembro o professor Thiago dos Santos foi agredido por um grupo de alunos enquanto aplicava uma prova de Língua Portuguesa.  Um dos estudantes gravou toda a ação e o vídeo foi parar na internet, causando revolta e comoção popular.

No vídeo, era possível ver alunos depredando o quadro branco, rasgando as provas e atirando objetos no professor.  Um dos adolescentes chega a arremessar uma pochete na direção do professor quando ele escrevia no quadro. Após a repercussão do caso, a Polícia Civil resolveu instaurar iniciativa própria um inquérito para apurar o caso.

Além disso, o Ministério Público (MPRJ), por meio da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude da comarca de Rio das Ostras, tomou ciência do caso também buscando saber as providências adotadas bem como a qualificação de todos os envolvidos, incluindo o professor vítima.

Brasil #1 no ranking da violência contra professores

Uma pesquisa global da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) com mais de 100 mil professores e diretores de escola do segundo ciclo do ensino fundamental e do ensino médio (alunos de 11 a 16 anos) põe Brasil no topo de um ranking de violência em escolas.

O levantamento é o mais importante do tipo e considera dados de 2013. Uma nova rodada está em elaboração e os resultados devem ser divulgados apenas em 2019. Na enquete da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), 12,5% dos professores ouvidos no Brasil disseram ser vítimas de agressões verbais ou de intimidação de alunos pelo menos uma vez por semana.

Trata-se do índice mais alto entre os 34 países pesquisados – a média entre eles é de 3,4%. Depois do Brasil, vem a Estônia, com 11%, e a Austrália com 9,7%. Na Coreia do Sul, na Malásia e na Romênia, o índice é zero.

 


 

Mais lidas do mês