Mídias Sociais

Destaque

Mulher denuncia agressões e ameaças pelo ex-companheiro há 7 anos em Tamoios, distrito de Cabo Frio

Publicado

em

 

Uma mulher moradora de Tamoios, segundo distrito de Cabo Frio, técnica de Enfermagem e Servidora Pública em dois municípios da Região dos Lagos, tem sofrido agressões e ameaças do ex-companheiro há sete anos. Martha Macedo já foi vítima de espancamentos em casa, na rua e no local de trabalho por Thiago Martins Rangel, de 29 anos, e registrou mais de 11 ocorrências contra o homem, que continua em liberdade. Além dela, a mãe – uma idosa de 65 anos – e a irmã também foram vítimas do elemento.

Segundo Martha, ela foi agredida com socos, empurrões e pontapés pelo ex-companheiro e que o mesmo já tentou matá-la por duas vezes, apenas em 2015. Além dela, Thiago também agrediu fisicamente a mãe, quando a mesma tentou proteger a filha. Em depoimento na 128ª Delegacia de Polícia (128ª DP), Martha disse, na época, que as agressões também eram verbais. Thiago já a chamou de “piranha, vagabunda, puta” e ameaçou “picá-la toda”, com um machado em mãos ao lado do portão de casa, impedindo que saíssem da residência em busca de auxílio policial.

Em uma das agressões, a vítima procurou atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Tamoios e, ao retornar para casa, encontrou com acusado que a ameaçou novamente, afirmando que “daria uma tiro” na cabeça dela, caso não “voltasse com ele”. Em seguida, ele a agrediu novamente tentou cegá-la com os dedos.

Em mensagens enviadas para a mulher, Thiago confessa as agressões e tenta justificar dizendo que “foi homem suficiente para chegar e dizer que estava errado”. Já por áudios, as ameaças continuaram: “você não perde por esperar (…) na hora que você tiver um encontro comigo, vai ser o último”.

Em 2021, em um outro registro de ocorrência, realizado na 126ª DP, Martha contou que foi estuprada por Thiago. Conforme o relato, ele “a convidou para irem a um bar” e quando ela decidiu ir embora, entrou no carro do ex-companheiro para que o mesmo a levasse para casa.

O homem “mudou o percurso e, ao invés de levá-la para casa, levou-a para a casa dele, e, que, chegando lá, apontou-lhe uma arma de fogo e a obrigou a manter relação sexual com ele, mediante ameaça com a arma”, diz o registro. Thiago também não teria usado preservativo na ocasião.

Em janeiro deste ano, Martha registou nova ocorrência na 126ª DP, desta vez por crime de violência psicológica, injúria e descumprimento de medidas protetivas.

Além das diversas agressões e ameaças sofridas pelo ex-companheiro, Martha conta ainda que vem sendo difamada por amigas de Thiago nas redes sociais, com divulgação de fotos e mentiras sobre ela. Em 2021, após um registro de ocorrência na Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) de Cabo Frio, foi decretada a prisão de Thiago, porém, em diligências realizadas para capturar o agressor, o mesmo não foi localizado, segundo a Especializada.

Já em 2022, a prisão foi novamente solicitada e, agora, a DEAM aguarda da Justiça para decretar a prisão. O processo está em trâmites internos para que seja concretada a decisão.

No Centro Especializado de Atendimento a Mulher (CEAM), a coordenadora Ludimila Roque informou que encontrará com Martha na quarta-feira (19), para iniciar os procedimentos necessários, inclusive no acionamento da rede de atenção do Município e região, caso necessário.

Mais lidas da semana