Mídias Sociais

Polícia

Maestro Budega é condenado por estupro de menor em Cabo Frio

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

O Maestro Ângelo Budega foi condenado, em primeira instância, pela Justiça acusado de estupro de vulnerável. De acordo com o Ministério Público de Cabo Frio, a condenação diz respeito ao crime de violência sexual praticado, em 2010, contra uma menina de apenas dez anos de idade.

De acordo com a denúncia, o Maestro é idealizador do 'Projeto Apanhei-te Cavaquinho', de educação musical informal, em Cabo Frio. Em 2010, ele teria buscado uma de suas alunas em casa sob a justificativa que ensinaria uma nova música. Cerca de três horas depois, ao voltar para casa, a menina teria contato para um tia, que havia sido violentada.

Os detalhes da sentença não podem ser divulgados, já que o processo corre sob sigilo, por se tratar de menor. Um mandado de intimação para ciência da sentença foi expedido no dia 25 de janeiro, mas a decisão cabe recurso.

 

Outras acusações - No início deste ano, um evento seria realizado no Charistas com a presença do maestro. O evento acabou não acontecendo sob justificada de uma forte chuva, que teria atingido a cidade. O contratempo foi o suficiente para que o assunto voltasse a tona e gerasse uma grande polêmica nas redes sociais.

Muitas pessoas postaram que eram contrárias ao evento, tendo em vista que  Budega foi acusado de abusar sexualmente de uma menina de 10 anos de idade, de acordo com o inquérito policial 812/11 e R.O. 07098/2010. Diante desses posts, começaram a surgir novas acusações contra o maestro.

A musicista Kéren-Hapuk Andrav foi uma das pessoas que comentou nas redes sociais denunciando, que também teria sido vítima do maestro. Ela esteve na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) de Cabo Frio, nesta segunda-feira, 04, para fazer o registro da ocorrência, e no dia seguinte também foi ao Ministério Público formalizar uma nova denúncia.

Segundo Kéren-Hapuk, que hoje tem 22 anos, Budega teria abusado da jovem quando ela tinha nove anos. Mas, na ocasião, não conseguiu denunciar.

Além de Kéren, há diversos comentários de meninas, que afirmam que observaram um comportamento estranho do maestro e que se sentiram coagidas, e por isso, conseguiram evitar, que o pior acontecesse.

Casos de pedofilia precisam ser denunciados. O canal mais indicado para denunciar é o Disque 100, do Governo Federal. A denúncia pode ser feita anonimamente. O serviço funciona diariamente das 8h às 22 horas, inclusive nos finais de semana e feriados.

Mais lidas da semana